Produção industrial deve cair de 3% a 5% no Ceará em 2020

Economista da Fiec vê segundo semestre um pouco mais positivo

Legenda: De acordo com o Sine/IDT, atendimento presencial foi restabelecido em todas as unidades do órgão.
Foto: Foto: Divulgação

O segundo semestre deve trazer para a indústria resultados melhores na comparação com os primeiros seis meses deste ano e a produção do setor no Estado deve encerrar 2020 em queda de 3% a 5% na comparação com 2019. A estimativa é do economista da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec), Guilherme Muchale.

“Acredito que teremos um cenário melhor no segundo semestre e a produção industrial do Ceará deve encerrar o ano com uma queda de 3% a 5%, mas para termos uma queda de 3% será necessário um quarto trimestre muito bom, com o mercado consumidor do Centro-Sul comprando os nossos produtos”, pontua.

A expectativa um pouco melhor dos industriais para os próximos meses foi captada pelo Índice de Confiança do Empresário Industrial (Icei), divulgado ontem (22) pela Fiec. De acordo com o levantamento, feito com 105 empresas no Estado, houve melhora do indicador entre junho e julho (+8,1 pontos), mas o Icei ainda se encontra no patamar pessimista (46,9 pontos). A pesquisa aponta otimismo quando o índice ultrapassa 50 pontos. No Estado, as médias empresas apresentaram o maior índice de confiança, com 50,1 pontos.

Retomada
De acordo com Guilherme Muchale, o crescimento está amparado no fato de que o Estado está conseguindo fazer uma retomada da economia sem retroceder, com uma redução contínua do número de casos de coronavírus e na taxa de óbitos. Além disso, a reforma tributária, apesar de trazer mudanças um pouco mais tímida que o esperado, também provoca otimismo no setor, já que representa simplificação de tributos.

“Há uma tendência natural de chegada no otimismo. Estamos próximos disso, mas depende, óbvio, da continuidade da redução no número de casos e da taxa de óbitos”, reforça. No Brasil, a confiança da indústria apresentou em julho resultado um pouco acima do Ceará: 47,6 pontos.
 

 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre negócios