Procura por crédito empresarial demanda orientação especializada para evitar erros

De acordo com dados da Serasa Experian, agosto de 2021 acumula aumento de 28% em comparação a 2020 na demanda por crédito empresarial no Brasil

Legenda: O consultor financeiro Francisco Andrade reforça que as buscas por linhas de crédito devem ser pelas subsidiadas pelo governo federal
Foto: Divulgação

Realizar expansões na empresa e aplicar capital para garantir crescimento é parte de qualquer negócio. Para tanto, diferentes instituições no mercado possuem opções de linhas de crédito que se adequam aos diversos modelos de empresas existentes. Mas, como saber qual melhor momento para realizar esse investimento e onde aplicá-lo?

Para o consultor financeiro Francisco Andrade, da Andrade Investimentos, a elaboração de um projeto econômico-financeiro que avalia a viabilidade do empreendimento por meio de um levantamento de dados da empresa, é fundamental nesse processo de decisão. A partir dessa análise teremos a real indicação de como o crédito deve ser aplicado. “A orientação que sempre dou a meus clientes é a de contratar um recurso barato e viável. A garantia de retorno da aplicação desse recurso é o ponto chave de sucesso do negócio. Por isso a importância do acompanhamento de um profissional especializado na área para a elaboração do projeto”, enfatiza Francisco Andrade.

O especialista comenta ainda que a busca por crédito sadio deve ser baseada nas linhas de crédito subsidiadas pelo governo federal, pois as taxas de juros tendem a ser mais acessíveis. Para tanto, instituições como o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e o Banco do Nordeste (BNB) são os mais indicados.

Enquanto nos bancos privados, por exemplo, as taxas mensais podem chegar a 3% ao mês, o que pode ser inviável para boa parte dos empreendedores. Para se ter uma dimensão da importância do crédito para as empresas em nível nacional, segundo os dados do BNDES, no segundo semestre de 2021 as pequenas e médias empresas tiveram participação somada de 22% na carteira de crédito da instituição, o que equivale a cerca de R$ 5,1 bilhões.

De acordo com dados do indicador de demanda das empresas por crédito da Serasa Experian, em julho deste ano houve um aumento de 12,7% na busca por crédito no Brasil. No mês de agosto, em comparação com 2020, o aumento foi de 28,2%.

Hoje, no Ceará, os segmentos que lideram a busca por crédito são os dos setores de saúde, energias renováveis e alimentação, informa Francisco Andrade.

 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre negócios

Assuntos Relacionados