Preço de produtos pode variar até 745% entre supermercados de Fortaleza

O quilo da laranja foi o que apresentou maior diferença, sendo vendido por valores que variam de R$ 0,59 a R$ 4,99, segundo o Procon

Escrito por Redação,

Negócios
Legenda: Frutas e verduras apresentam a maior variação entre supermercados em fevereiro
Foto: Kiko Silva

A diferença de preço de produtos em supermercado de Fortaleza chegou a 745% em fevereiro. Segundo levantamento do Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza), o quilo da laranja era vendido a R$ 0,59 no estabelecimento que pratica o menor valor conta R$ 4,99 do maior preço de venda.

Também foram observadas grandes diferenças de preço para o mamão (256%), abacaxi (254%), cebola (167,78%) e pimentão (167,22%). A soma dos 60 produtos pesquisados pelo Procon chegou a média de R$ 455,60, cerca de 10,88% a mais que o praticado em janeiro (R$ 410,89).

A Regional V - que abrage bairros como Siqueira, Conjunto Ceará, Maraponga, Mondubim e José Walter - possui o conjunto de produtos mais caro da Capital, somando R$ 497,54. Já a Regional VI (Edson Queiroz, Cidade dos Funcionários, Passaré, Messejana, Pedras, entre outros), possui a cesta mais barata no mês, com R$ 384,19.

Confira a lista completa dos produtos e preços.

A diretora do Procon Fortaleza, Cláudia Santos, lembra que, caso haja divergência de preços entre o valor anunciado com o registrado no caixa de pagamento, o consumidor tem o direito de pagar o menor valor. "O consumidor é a parte mais vulnerável na relação de consumo e, portanto, qualquer falha na prestação do serviço ou na compra de um produto deve privilegiar e compensar o consumidor".

Santos orienta que o consumidor prefira por dias de ofertas para fazer as compras. "Sabemos que as redes de supermercados realizam promoções de frutas, legumes e carnes em determinados dias da semana". Outra dica é verificar o espaço de produtos próximos ao vencimento, que costumam ter preços mais atrativos e, mesmo em promoção, possuem as mesmas garantias previstas pelo Código de Defesa do Consumidor.

Assuntos Relacionados