Petrobras começa a receber supercomputador para reduzir riscos operacionais

Se a máquina fosse montada em uma única fileira, ela teria mais de 34 metros de comprimento

Esta é uma imagem da Petrobras
Legenda: Petrobras recebe equipamentos para montagem de supercomputador
Foto: Divulgação

A Petrobras informou, em comunicado enviado à CVM na manhã desta segunda-feira (21), que começou a receber os equipamentos que compõem o supercomputador denominado Dragão, equipamento de alto desempenho objetivando maior performance no processamento geofísico, reduzindo riscos geológicos e operacionais.



Para transportar o supercomputador foram usados dez caminhões; se fosse instalado em uma única fileira, a máquina teria mais de 34 metros de comprimento. Com 100 terabytes de memória RAM (Random Access Memory), rede de 100 gigabits por segundo, e milhões de processadores matemáticos, o supercomputador Dragão terá capacidade de processamento equivalente a quatro milhões de telefones celulares ou cem mil laptops modernos. O processo de montagem poderá durar até três meses. O início de operação está previsto para o segundo semestre de 2021.

A Petrobras reforçou o investimento em computadores de alto desempenho e colocou em produção nove supercomputadores, sendo que dois deles ocupam a posição de maiores na América Latina, o Atlas e o Fenix. O Dragão terá capacidade de processamento geofísico superior à do Atlas e Fenix juntos.

Com os computadores, a petroleira consegue usar os algoritmos desenvolvidos pelo seu time de analisas de sistemas para gerar imagens da subsuperfície com maior resolução em áreas de interesse para exploração de petróleo e gás natural e, assim, otimizar a produção.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre negócios

Assuntos Relacionados