Operação de barreiras sanitárias em Maracanaú não compromete Ceasa e reforça limpeza na pandemia

Para garantir a segurança dos alimentos, a central de abastecimento reforça uma série de medidas

Foto: Foto: Cid Barbosa

A partir desta quarta-feira (8), a entrada em Maracanaú durante os horários de 7h às 10h e 16h às 22h só será permitida com a medição de temperatura. A medida imposta pelo prefeito da cidade, é uma forma de evitar a contaminação pelo coronavírus. Mesmo assim, o abastecimento da Ceasa continua garantido.  

> Governo Federal libera saque de R$ 1.045 do FGTS por trabalhador a partir de 15 de junho

> Auxílio emergencial: Situação cadastral do CPF pode ser verificada pela internet

> Caixa lança site de cadastro para recebimento do Auxílio Emergencial

> População mais vulnerável não poderá sacar imediatamente auxílio de R$ 600

> Calendário de saques, inscrições e condições: veja o que já se sabe sobre o auxílio emergencial

> INSS libera envio de atestado de auxílio-doença e antecipa pagamento de R$ 1.045

Segundo o analista de mercado da central de abastecimento, Odálio Girão, a distribuição de alimentos continuará normalmente e um dos critérios principais para isso é o aumento da demanda. “Estamos com o raio de produção muito bom, então não mexeu com o abastecimento, afinal o consumo cresceu porque todo mundo está em casa”, informa. A expectativa para a safra de maio também continua normal.  

Odálio acrescenta que o único fator que poderia atrapalhar a chegada de alimentos na Ceasa é uma falha na logística. “Corre o risco da logística do envio de produtos de outros Estados demore por causa de outras barreiras em outras cidades. Mas, no momento, não há nenhuma barreira confirmada em outros lugares”, assegura o profissional.  

Para garantir que esses alimentos chegarão com segurança a supermercados, restaurantes e aos lares dos consumidores, o analista ressalta as medidas que estão sendo tomadas pela Ceasa. “Desde a entrada, todos os veículos passam por um processo de limpeza. Recomenda-se aos permissionários o uso de máscara e álcool gel. Houve também aumento no número de banheiros”, disse.  

Além disso, há orientação para que os comerciantes repassem essas ações para os funcionários. Para os consumidores, a recomendação é higienizar os produtos e alimentos antes de guardar e lembrar de comprar apenas o necessário para a semana. “Os hortifrutigranjeiros são muito perecíveis e correm o risco de serem desperdiçados”, alerta Girão. 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre negócios


Egídio Serpa 22 de Janeiro de 2021