Novo coronavírus: tecnologia usada em shopping promete dar mais segurança ao consumidor

Iniciativa é do Iguatemi Fortaleza, que desenvolveu projeto em parceria com a Esmaltec

Escrito por Redação,

Negócios
Legenda: A professora Gorete Cavalcante aprovou a iniciativa de combate ao coronavírus. O empreendimento conta, inicialmente, com dois pontos de desinfecção
Foto: Thiago Gadelha

Recuperada do coronavírus, a professora Gorete Cavalcante sabe que mesmo já tendo sido infectada, é importante não descuidar para que o número de casos em Fortaleza e em todo o Estado siga em tendência de queda. Ela, que precisou ir ao shopping na última sexta (17), não deixou de notar cabines de desinfecção de compras pelo empreendimento e, diante de mais uma ferramenta de combate ao coronavírus, não pensou duas vezes: higienizou a bolsa e o celular.

"Achei interessante porque é um elemento a mais de higienização nesses tempos difíceis. E achei muito interessante a gente poder desinfectar o celular, que é um elemento que a gente pega com frequência", diz.

A iniciativa é do Iguatemi Fortaleza, que já conta com dois pontos de desinfecção de compras por meio de cabines com lâmpadas germicidas. A tecnologia foi desenvolvida pela Esmaltec a pedido do shopping, que receberá, ao todo, 20 cabines. A utilização é gratuita.

De acordo com o superintendente do Iguatemi Fortaleza, Wellington Oliveira, a proposta é fazer com que a ida do consumidor ao shopping seja o mais segura possível. "Nós já estávamos utilizando essas lâmpadas na escada rolante. Nós entendemos que seria possível utilizar também na higienização da sacola do cliente", diz.

Wellington pontuou ainda que a estratégia, mais uma na esteira do combate ao coronavírus, pode vir acompanhada de outras inovações. "Estamos sempre abertos a novos projetos, então se surge uma ideia de fora que a gente consiga adequar aqui, certamente nós iremos importar", frisa.

A cabine desenvolvida pela Esmaltec a pedido do Iguatemi conta com a estrutura de uma central de bebidas, mas sem a parte refrigeradora. Dentro dela, várias lâmpadas ultravioleta-C, com um comprimento de onda de 254 nanômetros, possuem a capacidade de matar bactérias e vírus, portanto, de eliminar o coronavírus das superfícies tocadas pela luz.

O diretor de engenharia da Esmaltec, Carlos Eduardo Sales, explica ainda que as lâmpadas são de fabricação russa e distribuídas por laboratórios no Brasil. "Nós montamos um projeto e recorremos aos laboratórios. Fizemos o revestimento interno da cabine todo em aço inoxidável para que houvesse maior espectro de distribuição dessa luminosidade em todas as superfícies das sacolas que os clientes colocam dentro da cabine", detalha.

A fisioterapeuta Cristiane Magalhães, que também passou pelo shopping, não deixou de parar em um dos pontos para desinfectar as compras, apesar da pressa. "Achei muito bom e se tiver em todo canto, melhor ainda. Já tinha vindo ao shopping e tinha usado uma vez, é a segunda vez que estou usando", diz.

Como funciona

Além disso, a cabine conta com uma prateleira para que também a superfície do fundo da sacola ou produto sejam desinfectados. "No momento em que as luzes são acesas, o espelhamento interno faz com que a luz se espalhe. E tudo que for tocado pela luz será desinfectado", destaca Carlos Eduardo Sales. Portanto, caso o cliente queira retirar os produtos de dentro da sacola e acomodá-los na cabine, eles serão desinfectados.

Por enquanto as cabines estão localizadas em dois pontos: próximo ao restaurante Engenho Dedé e próximo à loja Mr. Cat. Os pontos contam com instrutores orientando sobre o uso da cabine. O cliente deve colocar as compras na cabine e fechar a porta. Luzes na parte de baixo ficarão acesas e quando elas apagarem, a desinfecção estará completa. O processo dura um minuto.

Assuntos Relacionados