Ministério da Economia autoriza cessão de 19 empregados da Dataprev ao INSS

A iniciativa faz parte das soluções que o governo está desenhando para acabar com a fila do INSS de 1,3 milhão de pedidos em atraso até o fim de setembro de 2020

Legenda: Esse já é o segundo transtorno recente envolvendo os funcionários do BB e o INSS
Foto: Foto: Natinho Rodrigues

O Ministério da Economia autorizou o empréstimo de 19 empregados da Empresa de Tecnologia e Informações da Previdência (Dataprev) "para compor força de trabalho no Instituto Nacional do Seguro Social (INSS)".

A iniciativa faz parte das soluções que o governo está desenhando para acabar com a fila do INSS de 1,3 milhão de pedidos em atraso até o fim de setembro de 2020.

Além do remanejamento de quadros de outros órgãos, o governo já anunciou que pretende contratar até 7 mil militares da reserva das Forças Armadas para auxiliar no atendimento nas agências do INSS.

A cessão dos empregados da Dataprev para o INSS consta de portaria publicada no Diário Oficial da União (DOU) desta quinta-feira (16). O ato também transfere outros 30 empregados da Dataprev para o quadro do Ministério da Economia. Nos dois casos, a cessão será por tempo indeterminado.

"O retorno dos empregados à entidade de origem poderá ocorrer a qualquer tempo, por decisão do Ministério da Economia", cita a portaria. "Compete ao Instituto Nacional do Seguro Social e ao Ministério da Economia assegurarem de que os empregados públicos ora colocados à sua disposição, não exercerão atividades que não correspondam às suas atribuições na entidade de origem, de forma a não ocorrer desvio de função", acrescenta.

O governo formalizou nesta quinta-feira (16), por decreto, a inclusão da Dataprev no Programa Nacional de Desestatização (PND). A empresa pública é responsável pela gestão de sistemas de políticas sociais do Estado brasileiro, incluindo dados do INSS.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre negócios