México vai reduzir produção em 100 mil barris por dia após pacto com Trump e Opep

Segundo Obrador, os EUA se comprometeram a fazer um corte adicional de 250 mil barris por dia

O presidente do México, Andrés Manuel López Obrador, disse nesta sexta-feira que seu país decidiu aderir ao pacto da Opep+ para reduzir a produção de petróleo, mas ressaltou que os mexicanos contribuirão com um corte de apenas 100 mil barris por dia (bpd) após entrar em acordo também com os EUA.

> Governo do Estado já investiu mais de R$ 215 milhões no combate a pandemia do coronavírus
> Governo Federal libera saque de R$ 1.045 do FGTS
> Auxílio emergencial: veja calendário de saques, inscrições e condições

Segundo Obrador, os EUA se comprometeram a fazer um corte adicional de 250 mil barris por dia, além do que já iriam implementar.

Obrador disse que o acordo é temporário e foi selado após conversar por telefone com o presidente americano, Donald Trump.

Ontem, a Opep+ - formada pela Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e aliados que incluem a Rússia - chegaram a um pacto para reduzir sua produção coletiva em mais 10 milhões de barris por dia (bpd), em resposta ao impacto que a pandemia de coronavírus tem exercido na demanda pela commodity. O México, porém, foi o único integrante da Opep+ a não endossar o acerto.

Obrador disse nesta sexta que a Opep+ queria que o México contribuísse com um corte de 400 mil bpd, proposta que, conforme ele, foi posteriormente reduzida para 350 mil bpd. 

Fonte: Dow Jones Newswires

Quero receber conteúdos exclusivos sobre negócios