Maior parte dos empregos gerados no CE em 2019 está na faixa de 15 a 19 anos de idade

De acordo com dados do Caged, 16,5 mil empregos com carteira de trabalho foram gerados nesta faixa de idade no Estado no ano passado. Acima dos 30 anos, emprego formal apresentou saldos negativos

Escrito por Redação, negocios@svm.com.br

Negócios
Legenda: Maioria das vagas de trabalho foi gerada na faixa de idade de 15 a 19 anos, englobando muitos jovens aprendizes
Foto: Foto: Natinho Rodrigues

A faixa de idade de 15 a 19 anos foi a responsável, no ano passado, pela abertura de 16,5 mil vagas de emprego formal no Ceará. Esse intervalo foi um dos quatro que tiveram saldos positivos, segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério da Economia. 

Além desse intervalo de idade, a faixa que engloba os trabalhadores de 20 a 24 anos gerou 11,4 mil empregos com carteira de trabalho no ano passado. Já o intervalo que compreende os profissionais de 25 a 29 anos foram responsáveis pela abertura de apenas 1,2 mil vagas no período. 

As demais faixas etárias apresentaram saldos negativos. De acordo com o Caged, o mais afetado foi o intervalo de 35 a 39 anos, com o fechamento de mais de 2,8 mil empregos formais no Estado. 

Para Mardônio Costa, analista de mercado do do Instituto de Desenvolvimento do Trabalho (IDT), esse cenário é reflexo da recessão econômica e tem causas associadas ao baixo custo salarial dos mais jovens. 

"Como você tem uma força de trabalho com menos experiência, com menos comprometimento da renda familiar, e muitos deles estão buscando a sua primeira colocação no mercado, essa fase de experimentação, de uma maneira geral, os jovens tendem a se sujeitar a um maior nível de aceitação de salários mais baixos", explica. 

Segundo ele, neste momento de crise econômica, as empresas buscam diminui o custo com a folha de pagamento. "As empresas estão com baixo nível de consumo e isso é uma forma de redução de custo para maximizar seus lucros e deixar para fazer uma contratação mais efetiva a partir deste ano".

Em 2019, o Ceará teve saldo positivo de emprego de mais de 10,3 mil vagas. O analista do IDT ainda diz que os setores do comércio e serviços absorvem mais a mão de obra mais jovem.

"Isso porque a construção civil e a indústria da transformação exigem uma mão de obra mais qualificada e com um perfil de trabalhador com mais idade. Essa constatação de pessoas mais novas vem ocorrendo nos últimos cinco anos".

Assuntos Relacionados