Maia rechaça aumento de impostos para suprir queda na receita e defende reformas

O deputado voltou a cobrar do governo o envio da proposta de reforma administrativa

Legenda: "O que eu disse foi que, se essa é a proposta dele, deveria vir com o apoio de todos os servidores federais. Do Executivo, do presidente, dos seus ministros. Dos servidores todos, que ganham acima de um determinado valor, R$ 10 ou R$ 15 mil, e todos aqueles que não estejam diretamente envolvidos no enfrentamento ao coronavírus, como profissionais da área da saúde, entre outros", disse Maia
Foto: Foto: Agência Brasil

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse que considera difícil qualquer tipo de aumento na carga tributária para compensar a queda de receita pública por causa da pandemia de covid-19.

Segundo ele, o volume de impostos e taxas do Brasil já é de país rico e a saída são reformas, como a tributária e a administrativa. "Não adianta mais receita, temos de reduzir despesas", disse, durante live organizada pela revista IstoÉ.

Maia voltou a cobrar do governo o envio da proposta de reforma administrativa. Sobre a tributária, o deputado disse que a proposta deve unificar bens e serviços.

"Tributamos mais consumo que renda, tributamos mais pobres que ricos. Haverá (a discussão sobre reformas) no segundo semestre, que deve avaliar também a desoneração da folha, porque custo da contratação de mão de obra é grande", afirmou.