Indústria: transição foi período de adaptação aos protocolos

Ações educativas e medidas de higiene estão entre as prioridades do setor

Juntamente com o retorno das atividades, segmentos da indústria, que estavam parcialmente parado, iniciaram o mês com as atenções voltadas para os protocolos de segurança que deverão ser seguidos para evitar o contágio por coronavírus. “Nesta primeira semana, todos os demais setores da indústria que faltavam voltar começaram a fazer os seus protocolos, que precisam estar dentro das empresas”, disse Ricardo Cavalcante, presidente da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec).

“Esses protocolos vão dizer como o colaborador vai ser recebido dentro da indústria, com medição da temperatura, e irão tratar das partes de lavatórios e de alimentação, por exemplo”, disse Cavalcante. Além dessas medidas e do investimento em equipamentos de proteção individual (EPIs), o presidente da Fiec diz que estão sendo realizadas ações educativas como palestras explicando os novos procedimentos. “Esta primeira semana foi tranquila. Acredito que essa retomada gradativa ela é importante para a indústria para que a gente possa ter segurança, que todos os nosso colaboradores possam ficar tranquilo e também para que a gente possa retomar de uma forma mais gradual”, diz.

Cavalcante diz que nesta semana, alguns setores voltaram com 20% e outros com 30% da e que a partir da próxima segunda feira (8), a expectativa é de que toda a indústria volte com 40% da sua capacidade de trabalho. 

Grupo de trabalho
Criado há 15 dias pelo presidente da Fiec, o Grupo de Trabalho que conta com a participação de industriais e economistas cearenses, vem discutindo estratégias para o desenvolvimento industrial e formular um documento com soluções para a retomada da atividade econômica, que será apresentado em 90 dias aos governos federal, estadual e municipais. Indústrias de todos os portes e sindicatos industriais serão ouvidos para constatar as reais necessidades.


Categorias Relacionadas