Indicadores industriais mostram leve recuperação em fevereiro, diz CNI

Massa salarial real e rendimento médio real tiveram queda de 0,7%

Legenda: Em fevereiro, a utilização da capacidade instalada (UCI) cresceu 0,1 ponto porcentual na comparação com janeiro, atingindo 78%
Foto: Foto: Amanda Oliveira / Agência Brasil

A pesquisa Indicadores Industriais, divulgada nesta terça-feira (2), pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), mostra que a atividade industrial inicia o ano em leve recuperação.

Segundo o levantamento, as horas trabalhadas na produção tiveram alta de 1,6% em fevereiro em comparação com janeiro, o que representou o quarto aumento consecutivo. O resultado das horas trabalhadas da produção em fevereiro é 3% superior ao registrado em fevereiro de 2018.

O faturamento real também subiu 1,6% ante janeiro, na série livre de influências sazonais. Em comparação com fevereiro do ano passado, o faturamento, no entanto, ainda apresenta queda de 1,2%

Em fevereiro, a utilização da capacidade instalada (UCI) cresceu 0,1 ponto porcentual na comparação com janeiro, atingindo 78%. Quando comparada com fevereiro de 2018, a UCI é 0,3 ponto porcentual menor. 

"A recuperação da atividade industrial dos últimos meses, evidenciada pelo aumento das horas trabalhadas na produção nos últimos meses, chama a atenção. Ressalte-se, contudo, que o faturamento e o emprego não mostram o mesmo desempenho. Quando o emprego e o faturamento voltarem a mostrar tendência de alta, aumentará também consumo e o investimento, o que impulsionará uma aceleração maior da atividade como um todo", afirma o economista da CNI Marcelo Azevedo.

A pesquisa mostra que os indicadores vinculados ao mercado de trabalho apresentaram recuo em fevereiro. O emprego teve queda de 0,1% em fevereiro; a massa salarial real, queda de 0,7%; e o rendimento médio real diminuiu 0,7%, na série livre de influências sazonais. 

"A massa salarial paga em fevereiro de 2019 é 3% inferior à do mesmo mês de 2018", informa a CNI. O rendimento médio do trabalhador é 2,9% menor do que o do mesmo mês de 2018.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre negócios

Assuntos Relacionados