FNE: Ceará é o segundo Estado com o maior volume de contratações

O Estado recebeu um aporte de R$ 2,2 bilhões no primeiro semestre do ano em mais de 32,5 mil operações, segundo o BNB, administrador exclusivo do fundo. Pequenas e micros empresas são a maioria dos contratantes

Legenda: Em junho, o banco emprestou R$ 322,1 milhões a micro e pequenas empresas, 78,5% a mais que em igual mês do ano passado
Foto: Kid Junior

O Ceará foi o segundo estado atendido pelo Banco do Nordeste (BNB) - atrás apenas da Bahia - em volume de contratações com recursos do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE) no primeiro semestre deste ano.

O banco informou ontem que, ao todo, foram mais de 32,5 mil operações de crédito que demandaram R$ 2,2 bilhões. Considerando todos os fundos, o banco aplicou R$ 3 bilhões em operações.

O setor de comércio e serviços foi o maior contratante de crédito com o BNB nesse primeiro semestre no Estado, tomando R$ 594,6 milhões, o equivalente a 60% do volume total aplicado pelo banco. Em seguida, aparecem os segmentos da pecuária (R$ 189,9 milhões) e da indústria (R$ 144,9 milhões).

Micro e pequenos

Em relação ao porte das empresas contratantes, no Ceará, cerca de 62% das contratantes são de micros a pequenas-médias empresas. A predominância são de pequenas, que representam 27% do volume demandado ao BNB. As grandes vêm logo atrás, atingindo 21%. "Mas o nosso foco são realmente as micro e pequenas. Estamos, cada vez mais, tentando fazer com que o BNB seja o banco dos pequenos produtores", ressalta o presidente da instituição, Romildo Rolim.

R$ 594 mi
No Ceará, o setor de comércio e serviços foi responsável por 60% do valor emprestado, somando R$ 594,6 milhões em operações

De acordo com o balanço divulgado ontem pela instituição, a contratação de crédito pelas micro e pequenas empresas tem se elevado exponencialmente. Somente no mês de junho, o banco emprestou R$ 322,1 milhões para clientes desse porte, volume 78,5% maior que igual mês do ano passado.

Ao mesmo tempo, os valores contratados através do microcrédito, tanto o rural quanto o urbano, também têm crescido. De janeiro a junho, o BNB já emprestou R$ 1,65 bilhão através do Crediamigo e do Agroamigo. O montante é 9,2% maior que o primeiro semestre do ano passado.

Infraestrutura

Além dos segmentos de destaque, o BNB também tem atuado no setor de infraestrutura. Segundo o banco, já foram investidos R$ 5,7 bilhões no período. "Trata-se de um reforço do apoio do BNB à retomada da atividade econômica regional, com financiamento a empreendimentos nos segmentos de energia, saneamento básico e de água e aeroportos, por exemplo", ressalta o presidente.

9,2%
O volume de recursos aplicados pelo BNB através do microcrédito cresceu 9,2% no primeiro semestre, totalizando R$ 1,65 bilhão

Lucro

Além da notoriedade nas operações de crédito, o BNB também foi destaque no lucro líquido, que chegou a R$ 755,8 milhões, o maior da história do banco para um semestre. Em relação a igual período de 2018, foi registrado um crescimento de 223% (R$ 230,6 mi). O resultado, segundo Rolim, é fruto de um plano de gestão iniciado no ano passado que busca reduzir despesas e, consequentemente, uma maior eficiência.

Ceará é destaque entre os estados que recebem recursos do FNE. Com otimização de gastos, lucro do BNB até junho atingiu R$ 744,8 milhões e é o maior da história para um semestre