Federação de jovens empresários reforça sugestões para retomada e prevê início em 1° de junho

A Fajece, contudo, ressalta que o processo para a reabertura das empresas deve seguir as orientações dos especialistas da área da saúde

Legenda: Entre os pontos sugeridos pela Fajece estão também o controle de temperatura de clientes e colaboradores para que evitar casos de contaminação, e a limpeza dos ambientes das empresas pelos menos 3 vezes ao dia
Foto: Foto: Kid Júnior

O Governo do Estado recebeu mais um modelo com sugestões para a reabertura da economia. Na última segunda-feira (18) foi a vez da  Federação das Associações dos Jovens Empresários do Ceará apresentar uma proposta. Segundo o coordenador-geral da Fajece, empresários preveem que a retomada poderá acontecer a partir do dia 1 de junho.

O texto entregue pela Fajece, contudo, ressalta que o processo para a reabertura das empresas deve seguir as orientações dos especialistas da área da saúde. Além disso, o projeto de retomada só poderia ser aplicado quando o Estado começasse a registrar redução dos números de contaminação, internações, e óbitos pelo novo coronavírus

> Ceará tem 1.837 mortes e 27.578 casos confirmados de Covid-19, segundo Secretaria de Saúde

"A gente sugere que só haja a retomada quando houver melhora nos indicadores da saúde. A gente orienta que as empresas orientem os trabalhadores e entreguem equipamentos de proteção e higiene. Também sugerimos que se ofereça isso aos clientes", disse Torquato. 

Entre os pontos sugeridos pela Fajece estão também o controle de temperatura de clientes e colaboradores para que evitar casos de contaminação, e a limpeza dos ambientes das empresas pelos menos 3 vezes ao dia. 

Yuri ainda explicou que a Fajece sugeriu que colaboradores do grupo de risco – idosos ou pessoas com comorbidades que possam gerar complicações pela covid-19 – fiquem em casa. 

Além disso, todos os funcionários que puderem fazer home office deveriam ser colocados nesse regime de trabalho para garantir menores níveis de circulação.

"A gente tem uma preocupação muito grande com a saúde do cearense, até porque se tivermos mais óbitos a economia irá ficar parada por mais tempo. voltar antes do tempo, sem orientação da área da saúde corre o risco de adiarmos a quarentena, então acreditamos muito em ouvir a área da saúde", disse Torquato.

Segundo ele, estratégias mal-estruturadas podem acabar retardando o processo de reabertura da economia.

Torquato ainda afirmou que, agora, com várias propostas de retomada sendo apresentadas, o Governo do Estado precisa analisar o processo o quanto antes e dar uma sinalização às empresas cearenses.

"As opções estão na mesa do Governo, então é preciso analisar o quanto antes e sinalizar como e quando vamos poder pensar na reabertura da nossa economia", disse.    

Veja medidas da proposta de retomada 

  • Fornecimento de equipamentos de proteção;
  • Orientações das empresas aos trabalhadores;
  • Uso obrigatório de máscaras por todos que adentrarem à empresa
  • O ambiente onde se encontram as pessoas deverá ser limpo e desinfetado a cada 5 (cinco) horas
  • Flexibilizar horários de deslocamento ao trabalho para evitar aglomerações no transporte público
  • Disponibilizar local para que os funcionários que usem o transporte público possam trocar de roupas, pois a roupa usada durante o transporte não poderá ser usada dentro da empresa
  • Reunião ou eventos com funcionários e clientes que não permita distanciamento de no mínimo 2m entre os participantes, deve ser realizada via videoconferência
  • Fazer análise semanal (7 em 7 dias) destes indicadores e o retorno em fases, semelhante ao que aconteceu nos países que já conseguiram controlar a pandemia