Estudo revela hábitos de viajantes domésticos e do exterior a destinos brasileiros em 2019

Levantamento do grupo Expedia mostra que enquanto os viajantes internacionais gastam mais e ficam por mais tempo hospedados, os que se deslocam dentro do próprio País são mais propensos ao uso do smartphone

Legenda: Rio de Janeiro foi o destino mais visitado por viajantes estrangeiros em 2019
Foto: Foto: Expedia/Divulgação

O Brasil está em alta como destino de viagens. Segundo dados do Expedia Group, que recebe mensalmente mais de 70 milhões visitantes em suas plataformas, os deslocamentos para as cidades brasileiras, sejam de origem doméstica ou internacional, a lazer ou a trabalho, tiveram bom crescimento em 2019, comparados ao ano anterior. Os dois principais destinos do país, São Paulo e Rio de Janeiro, tiveram altas de 20% na demanda por viagens em relação a 2018, por exemplo.

Mas como estar bem preparado para atender esse fluxo crescente de viajantes, considerando as particularidades e o comportamento de cada nacionalidade? Em que medida os viajantes domésticos se diferenciam dos estrangeiros? Mais uma vez, as informações obtidas a partir da demanda gerada nas plataformas do grupo oferecem um bom indicativo.

“O Brasil vive um momento de retomada econômica e crescimento nas viagens para muitos de seus destinos. Mas para explorar ao máximo essa oportunidade é necessário conhecer os diversos tipos de viajantes e seus hábitos. Esse é o principal objetivo do Expedia Group por aqui: que nossos parceiros estejam sempre bem preparados e munidos de informações para atender da melhor forma quem visita as cidades brasileiras”, comenta Raquel Lima, Area Manager para o Brasil do Expedia Group.

Veja abaixo os principais insights tirados da demanda por viagens ao Brasil durante o ano de 2019:

Destinos

Algumas cidades sempre muito procuradas, como São Paulo e Rio de Janeiro, seguem no topo da lista de principais destinos para viajantes do Brasil e do exterior. Mas, daí em diante, a preferência muda, com os turistas internacionais preferindo cidades menores e tradicionalmente turísticas, enquanto os deslocamentos domésticos se dirigem principalmente às capitais.

Veja o top 5 de cidades mais procuradas por cada origem de viajante ao longo de 2019:

Destinos com maior demanda de viajantes doméstico
São Paulo
Rio de Janeiro
Brasília
Curitiba
Fortaleza

Destinos com maior demanda de viajantes internacionais
Rio de Janeiro
São Paulo
Búzios
Foz do Iguaçu
Salvador

Os viajantes de fora do país costumam gastar mais com hospedagem, com uma diária média (ADR) 30 dólares maior do que a paga pelos viajantes domésticos. Porto de Galinhas, São Paulo, Angra dos Reis, Rio de Janeiro e Foz do Iguaçu são os destinos com a maior diária média paga por esse público, enquanto Curitiba, Recife, Manaus, Belém e Goiânia apresentam alguns dos valores médios mais baixos.

Viajantes internacionais também planejam os deslocamentos com maior antecedência, fazendo a reserva com uma média de 31 dias antes da viagem, contra 18 dos viajantes domésticos. Eles também ficam em média 1 dia a mais hospedados nos destinos que visitam.

Plataforma usada e pacotes de viagens

Mas, se os viajantes internacionais gastam mais e por mais tempo quando viajam, seus métodos de reserva ainda são mais tradicionais: apenas 22% deles o fazem pelo smartphone, enquanto entre os viajantes domésticos o percentual sobe para 41%.

Por outro lado, quem vem de fora do Brasil tem maior possibilidade de reservar pacotes de viagem (voo + hospedagem): a demanda internacional por eles é 4 vezes maior que a dos viajantes domésticos, considerando a proporção em relação ao total reservado.

Origem e época da viagem

Os países que mais enviaram viajantes ao Brasil em 2019 foram: Estados Unidos, Argentina, Reino Unido, Chile e França. Mas há outros mercados que cresceram e se aproximaram desses durante o ano: Emirados Árabes, Portugal e Colômbia são países de origem em que a demanda por viagens ao Brasil dobrou ou ficou perto disso, em relação a 2018.

Enquanto as viagens domésticas se distribuem de forma uniforme ao longo do ano, os deslocamentos internacionais apresentam comportamentos diferentes. No caso da Argentina e do México, 50% da demanda se concentrou nos três primeiros meses do ano. Viagens da França, por outro lado, tiveram um pico em agosto, enquanto 25% dos oriundos da Alemanha escolheram novembro e dezembro para vir ao Brasil.

Outros dados

Outras informações estratégicas dos viajantes que utilizam as plataformas do Expedia Group podem ser obtidas pela Central de Parceiros do grupo. Lá, os parceiros de hospedagem encontram dados mais aprofundados que ajudam a entender os hábitos de viagem e ferramentas que permitem interagir com esses clientes, aumentar sua visibilidade em sites como Expedia e Hotéis.com e otimizar sua receita.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre negócios