Estudo aponta que guerra comercial prejudicou consumidores dos EUA

Conclusão contradiz afirmações do presidente Donald Trump de que as tarifas punitivas sobre as importações americanas não têm impacto na economia do país

Legenda: Segundo especialistas, as tarifas "custaram aos consumidores e empresas importadoras dos Estados Unidos um montante adicional de 3 bilhões de dólares por mês"
Foto: Foto: Reuters

A economia e os consumidores dos Estados Unidos são os maiores prejudicados pela guerra comercial do governo de Donald Trump com sócios-chave do país, afirma um estudo de economistas do Federal Reserve (Fed) de Nova York e das universidades de Princeton e Columbia.

Esta conclusão contradiz afirmações do presidente de que as tarifas punitivas sobre as importações americanas não têm impacto na economia do país. 

Trump afirmou inclusive que estas tarifas são bilhões de dólares que chegam aos cofres do Estado. 

"Globalmente, utilizando métodos econômicos padrão, chegamos à conclusão de que o impacto das tarifas aduaneiras seja suportado exclusivamente pelos consumidores americanos", escreveram Mary Amiti, Stephen Redding e David Weinstein, que divulgaram seu trabalho nesta segunda-feira. 

Nesta quarta, o Departamento de Comércio publicou que o déficit comercial americano alcançou o maior nível em 10 anos - 621 bilhões de dólares (+12,5%), com exportações recordes de 2,5 trilhões de dólares (+6,3%) e importações também em níveis históricos de 3,121 trilhões de dólares (+7,5%). 

Em 2018, o governo de Trump impôs tarifas que variavam entre 10% e 50% sobre um total de 283 bilhões de dólares de produtos importados. 

Em resposta, parceiros comerciais dos Estados Unidos, especialmente a China, adotaram represálias, com tarifas de em média 16% sobre cerca de 121 bilhões de dólares de exportações americanas. 

"Embora os efeitos a longo prazo ainda não sejam determinados, durante 2018 os Estados Unidos experimentaram aumentos substanciais dos preços dos bens intermediários e produtos concluídos, mudanças significativas em sua rede de linhas de produção, uma redução nas variedades importadas (de produtos) e uma transferência das tarifas aduaneiras para os preços internos dos produtos importados', resumiram. 

Até o fim de 2018, estimaram os especialistas, "as tarifas custaram aos consumidores e empresas importadoras dos Estados Unidos um montante adicional de 3 bilhões de dólares por mês e cerca de 1,4 bilhão de dólares por mês em prejuízos econômicos associados". 
 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre negócios

Assuntos Relacionados


Redação 18 de Outubro de 2020