Estado avalia venda de participação acionária da Silat à Gerdau

Após compra da siderúrgica pela multinacional, Estado admite possibilidade de negociar 3,65% das ações da Silat. Governo deverá discutir o assunto com a Gerdau ainda neste ano, mas negociações ficarão para o ano que vem

Escrito por Samuel Quintela, samuel.Quintela@svm.Com.Br

Negócios
Legenda: A Silat, localizada em Caucaia, conta com 233 empregados próprios e terceirizados

A compra da Siderúrgica Latino Americana S.A (Silat) pela siderúrgica brasileira Gerdau deverá trazer benefícios para o Governo do Estado. Durante a participação na Feira Internacional de Logística (Expolog), o presidente da Agência de Desenvolvimento Econômico do Estado do Ceará (Adece), Eduardo Neves, confirmou que o órgão está considerando vender a parte das ações da Silat ainda sob controle do Estado (3,65%).

Ontem (27), a Gerdau confirmou a aquisição da unidade da Silat localizada em Caucaia, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), com o valor da compra na ordem de U$S 110,8 milhões. O dado, contudo, está sujeito a ajustes habituais. A Gerdau ainda não divulgou a taxa de câmbio aplicada na negociação com as espanholas Hierros Añon e Gallega de Mallas, atuais donas da Silat.

A transação ainda depende da aprovação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) e da verificação de outras condições suspensivas usuais. Contudo, o presidente da Adece confirmou que o Estado deverá ter uma reunião com a Gerdau ainda em 2019 para iniciar os diálogos para uma possível negociação da parte investida pela agência de desenvolvimento estadual ainda no início das operações da Silat.

No entanto, as tratativas só devem ser realizadas no ano que vem, após a confirmação de validade pelo Cade. "Devemos entrar em contato esse ano ainda com a Gerdau para abrir as conversas, mas as negociações devem ficar para o ano que vem, dependendo do resultado do Cade. Nosso interesse é total nessa operação, pois queremos que a Gerdau amplie os negócios aqui no Ceará", disse Neves.

Se mantiver a proporção da negociação confirmada nesta quarta, o Estado poderia receber US$ 4,19 milhões pelos 3,65% adquiridos pela Adece.

Contudo, Neves ponderou que ainda será preciso esperar mais informações sobre a negociação, o que deverá acontecer na primeira reunião entre Adece e Gerdau.

Potencial

O presidente da Adece ainda afirmou que a aquisição da Silat pela Gerdau poderá impulsionar os planos do Estado de implementar um polo metalmecânico no Ceará.

"Já foi investido um valor considerável no projeto e falta a parte de aciaria, que teoricamente, necessitaria do dobro do que já foi investido, e como a Gerdau já atua na área, pode ser que a Silat tenha as operações ampliadas sob essa nova direção", disse Neves. "A nossa avaliação é muito positiva e isso é importante para o polo metalmecânico", completou.

Assuntos Relacionados