Endividamento sobe a 60,2% em Fortaleza, mas inadimplência cai em julho

Fatia de consumidores com contas em atraso há mais de 90 dias na Capital cearense passou de 9,1% para 8,6% neste mês

Legenda: Mais da metade das compras no crédito em julho foram de itens de alimentação (52,8%), segundo a Fecomércio-CE
Foto: Foto: José Leomar

A proporção de consumidores com algum tipo de dívida em Fortaleza cresceu novamente na passagem de junho para julho. De acordo com a Pesquisa do Endividamento do Consumidor de Fortaleza, divulgada na manhã desta terça-feira (23) pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Ceará (Fecomércio-CE), o percentual de endividados passou de 56,6% no mês passado para 60,2% em julho.

Também cresceu o percentual de fortalezenses com dívidas em atraso de até 90 dias. A taxa passou de 20,5% em junho para 21,6% em julho deste ano. Entretanto, a fatia de consumidores inadimplentes, com dívidas atrasadas há mais de 90 dias, passou de 9,1% em junho para 8,6% em julho.

O comprometimento da renda familiar do consumidor da Capital cearense com o pagamento de dívidas também apresentou crescimento ao passar de 38,2% em junho para 39% em julho, se distanciando cada vez mais do recomendado por economistas, que é o comprometimento de, no máximo, 30% da renda mensal com o pagamento de débitos.

O cartão segue como o principal recurso utilizado para a tomada de crédito, com 81,1% das respostas, seguido por outras ferramentas (18,2%) e financiamento (17,2%). O empréstimo pessoal aparece em seguida, com 6,2% das respostas.

Mais da metade das compras no crédito foram de itens de alimentação (52,8%).

Os gastos com educação totalizaram 25,3%, o vestuário ficou em 24,6% e os tratamentos de saúde totalizaram 19,5% das respostas. Grande parte das dívidas fica entre R$ 500 e R$ 1 mil (21% das respostas).

Na avaliação do presidente da Fecomércio-CE, Maurício Filizola, o endividamento não representa a maior preocupação, mas sim a inadimplência e a taxa de consumidores com dívidas em atraso. "Uma das formas mais abrangentes de pagamento é o cartão de crédito. O consumidor tem se educado cada vez mais para usar a ferramenta, observando o cumprimento de dívidas futuras".

FGTS ativo

Ele também acredita que a liberação dos recursos em contas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), medida divulgada pelo Governo Federal e que ainda deve ser anunciada oficialmente em breve, será benéfica para o comércio, já que os consumidores com dívidas em atraso e inadimplentes deve usar o dinheiro para quitar as dívidas e voltar a consumir. "É mais dinheiro circulante e grande parte é para o pagamento de dívidas".


Categorias Relacionadas