Crise afeta 87% dos empresários do comércio e serviços

Sete em cada dez empresários pensam que a crise se aprofundará ou continuará igual nos próximos seis meses

Escrito por Redação,

Negócios

A maioria dos empresários brasileiros que atuam nos segmentos do comércio e de serviços está sentindo os efeitos negativos da atual crise econômica, segundo levantamento realizado pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL). 

De acordo com a pesquisa, 86,9% desses empresários disseram que seus negócios estão sendo afetados pela crise em algum grau. A principal consequência desse cenário, para os entrevistados, tem sido a diminuição das vendas (82,7%), seguida pelo aumento do pagamento de impostos (51,0%), medo de investir (40,4%) e dificuldades para pagar as contas em dia (34,7%). Apenas 10,5% avaliam que o negócio não está sofrendo com o atual momento político e econômico.

"A atual situação da economia brasileira tem gerado um círculo vicioso difícil de interromper. Como a inflação e as taxas de juros permanecem altas, as vendas caem e as empresas empregam e investem menos. Os efeitos negativos são percebidos nas quedas das vendas no varejo e na produção industrial. Dessa forma, temos queda de confiança tanto do empresário, quanto do consumidor. Esse resultado se traduz, muitas vezes, em inadimplência de ambas as partes e também em recessão", analisou o presidente da CNDL, Honório Pinheiro.


Mario Mesquita

Comércio exterior do Nordeste

Mario Mesquita
26 de Maio de 2022