Criptomoeda pode ser o "ouro" do futuro, diz especialista

De acordo com o coordenador-geral de fomento ao empreendedorismo, atração de investimentos e Fungetur do Ministério do Turismo, Lucas Fiuza, a criptomoeda será a nova referência de valor no mundo

Legenda: Para Lucas Fiuza, a questão do Bitcoin, por exemplo, é uma forma de liberdade econômica, o que, nos moldes atuais da economia, não acontece.
Foto: MichaelWuensch

A criptomoeda será em breve referência de valor no mundo, função atualmente cumprida pelo Dólar. É esta a aposta de Lucas Fiuza, que será apresentada durante o evento Winds For Future neste fim de semana, dia 21 e 22 de setembro. “Tendência não é ser a moeda do dia a dia. A minha tese é que vai ser espécie de padrão ouro do futuro”, pontua. “Seria referência de valor concreta, porque não tem ninguém para manipular a emissão dele”, afirma.

Lucas Fiuza é coordenador-geral de fomento ao empreendedorismo, atração de investimentos e Fungetur do Ministério do Turismo. No entanto, foi a curiosidade pelo Bitcoin que o levou a pesquisar sobre o setor em 2016 e criar uma startup voltada a atividades com a criptomoeda. É com essa bagagem que leva a questão do Bitcoin, por exemplo, como forma de liberdade econômica, o que, nos moldes atuais da economia, não acontece, em sua visão.

“Quando o dinheiro está no banco, você tem a impressão que está com você. Mas, na verdade, não está. Se o banco decidir que não vai dar o dinheiro naquela hora, ele não dá. Aconteceu na época da Zélia Cardoso, que bloqueou as contas de todo mundo”, destaca. Porém, isso não acontece, de acordo com ele, com a criptomoeda. Todo o dinheiro está unicamente sob administração do dono do dinheiro.

“E isso permite um planejamento de longo prazo, o que acaba impactando na sustentabilidade. Reserva de valor de longa prazo que não perde poder de compra, as pessoas tendem a fazer mais projetos de longo prazo”, ressalta. “Quando se está disposta a abrir mão de algo agora, pensando em ter o benefício no futuro, essa é a mentalidade da sustentabilidade, a pessoa está se preocupando com as gerações futuras”, acrescenta Fiuza.

Evento

Fiuza será o palestrante do segundo dia do Winds For Future, que irá levar outras temáticas aos participantes, como investimentos sustentáveis. A proposta do evento é conectar empreendedores e kitesurfisfas do Brasil e de outros países, com o objetivo de chamar a atenção para os impactos ambientais e disseminar a importância da tecnologia a favor da redução desses danos. A previsão é esta será a primeira de uma série anual para os próximos quatro anos.

Você tem interesse em receber mais conteúdo de negócios?

Assuntos Relacionados