Coronavírus: empresas ampliam prazo para negativação por atraso em pagamentos

Tempo necessário para a inclusão do nome do consumidor em lista de negativados passará de 10 a 45 dias desde a notificação ao devedor

Legenda: A medida começa a valer no dia 17 de abril e segue pelos próximos 90 dias
Foto: Foto: Arquivo

Frente à crise do novo coronavírus no País e consequente aumento da demanda por crédito, a Associação Nacional dos Bureaus de Crédito (ANBC), que representa as empresas de análise de dados de crédito, anunciou hoje (9) que vai prorrogar de dez para 45 dias o prazo de negativação de dívidas. 

> Governo Federal libera saque de R$ 1.045 do FGTS por trabalhador a partir de 15 de junho

> Auxílio emergencial: Situação cadastral do CPF pode ser verificada pela internet

> Caixa lança site de cadastro para recebimento do Auxílio Emergencial

> População mais vulnerável não poderá sacar imediatamente auxílio de R$ 600

> Calendário de saques, inscrições e condições: veja o que já se sabe sobre o auxílio emergencial

> INSS libera envio de atestado de auxílio-doença e antecipa pagamento de R$ 1.045

A medida começa a valer no dia 17 de abril e segue pelos próximos 90 dias. O objetivo, segundo a entidade, é proporcionar o tempo necessário para as renegociações nesse momento crítico, e garantir a proteção de consumidores e empresas.

Na prática, isso significa que se uma pessoa atrasar uma conta e for notificada no próximo dia 17, o nome dela só entrará para a lista de negativados 45 dias depois, e não mais em dez, como era realizado até então.

De acordo com a ANBC, a medida pode ser prorrogada, se for necessário. "A manutenção do sistema de avaliação de crédito é crucial para qualquer medida de recuperação econômica, especialmente como parâmetro para um eventual programa de reativação da economia e auxílio a devedores", informa em nota.