Conheça os vencedores da edição 2020 do Desafio Startup Ceará

Encerrado na última quinta-feira, 5, Desafio selecionou projetos que trazem impacto para sociedade cearense

Escrito por Sebrae-CE,

Negócios
Legenda: 30 equipes passaram pelas cinco etapas do projeto, que selecionou três vencedores
Foto: GaudiLab/Shutterstock

No processo de desenvolvimento de um ecossistema eficiente de startups, o incentivo a criação de projetos que auxiliem a sociedade é uma estratégia para que negócios já surjam como forma de solucionar um problema. Finalizado no último dia 5 de novembro, o Desafio Startup Ceará, desenvolvido pelo Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Ceará (Sebrae-CE), elegeu três projetos vencedores para serem acelerados pelo Serviço. 

O mote da edição 2020 do evento, que foi realizado quase inteiramente de forma on-line por conta do período de isolamento, foi o surgimento de negócios que auxiliem a recuperação econômica do Estado. Ao todo, 30 equipes cearenses participaram das cinco etapas, explica Glauber Uchoa, analista técnico do Sebrae Ceará, responsável pelo Sebraelab e pelo Desafio Startup Ceará. Acerca da realização virtual do projeto, Glauber explica que não foi simples, pois dinâmicas práticas eram uma das bases das edições anteriores. 

“Tivemos que esticar o prazo de realização de cada evento. O que fazíamos de forma intensiva em dois dias de atividades passou a ser feito também de forma intensiva, mas em uma semana inteira de interação online. Após a adaptação da metodologia, aplicamos em uma turma piloto o novo método e viemos ao longo da jornada aperfeiçoando as interações com o público”, relata. Os três primeiros colocados do Desafio irão participar de um processo de pré-aceleração pelo Sebraelab. Além dos vencedores, Glauber reforça que as demais equipes também poderão participar de mentorias e outras ações da instituição. 

De acordo com informações da Rapadura Valley, comunidade de inovação do Ceará, Fortaleza conta com 79 startups, sendo a terceira capital do Nordeste em número de empreendimentos.

Morador de Juazeiro do Norte e representante da startup Brincando e Aprendendo, Elvis Vidal, estudante de Engenharia de Produção do Centro Universitário Paraíso (UniFAP), comenta que o foco dos trabalhos, o desenvolvimento de um aplicativo para crianças com Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH), foi pensado como forma de auxiliar o cotidiano dos jovens e pais. O projeto, elaborado por Elvis e outros quatro colegas, ficou em 1º lugar no Desafio Startup Ceará. 

“Esse aplicativo vai direcionar horários de lazer, de estudo, fazendo com que sejam seguidos. No app vai ter um avatar, por escolha da criança, para que haja interação e ela tenha ainda mais essa vontade de fazer as rotinas pré-programadas pelos pais”, comenta Elvis. Sobre a experiência no Desafio Startup, Elvis destaca os aprendizados sobre práticas de pitch e processos de análise mercadológica. O estudante também ressalta que o mercado que pretendem entrar ainda é pouco explorado no Brasil. 

Legenda: Elvis Vidal é um dos integrantes da startup Brincando e Aprendendo, 1º lugar no Desafio Startup Ceará
Foto: Divulgação

Organização financeira

Vice-campeã do Desafio Startup, a startup Guru do Bolso projeta servir como plataforma para auxiliar brasileiros a controlarem suas finanças, reduzindo o risco de acabarem endividados. “(O aplicativo funciona) Através de um controle de despesas e receitas, controle da lucratividade semanal ou mensal, e uma consultoria com inteligência artificial especializada em finanças”, explica Gustavo Damasceno, graduando em engenharia de computação no campus Quixadá da Universidade Federal do Ceará (UFC).

“Fizemos a validação da nossa ideia, desenvolvemos o protótipo, criamos nosso plano de negócios, modelo de negócios, táticas de vendas. Nesse período, aprendemos a transformar uma simples ideia em um produto”, avalia Gustavo. Acerca do mercado cearense para startups, o estudante reforça a importância da Rapadura Valley, além de iniciativas realizadas pela Secretaria da Ciência, Tecnologia e Educação Superior do Ceará (Secitece) e universidades. 

Legenda: Durante todo o processo, 30 equipes participaram da edição 2020 do Desafio
Foto: Reprodução

Foco no mercado de trabalho

Voltada para profissionais do segmento de construção, a startup ConstruFácil, que ficou em terceiro lugar no Desafio Startup, se propõe a servir como ponte entre clientes e trabalhadores. “Se ele (cliente) vai construir, ou se precisa de um projeto para sua casa, ou de um serviço mais básico, como um problema na parte elétrica, hidráulica da casa, vamos fazer um link entre essas duas personas”, conta Tavile Ricardo, estudante do curso de Técnico em Edificações no campus Itapipoca do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE). 

Morador da cidade de Itapipoca, Tavile explica que observou a demanda no mercado da região, com muitos profissionais passando por dificuldades durante o período mais rígido de isolamento. A ConstruFácil, inclusive, foi desenvolvida somente durante a etapa regional do Desafio Startup, pois os membros, apesar de estudarem na mesma instituição, ainda não haviam formalizado o projeto. 

“Quando você sai é com outra ideia de mundo e bons modelos de negócios. É muito incentivado a você pensar fora da caixa, observar a dor do mercado e trabalhar em cima disso”, relembra Tavile. 

Assuntos Relacionados


Mario Mesquita

Comércio exterior do Nordeste

Mario Mesquita
26 de Maio de 2022