Comitê se reúne hoje para avaliar novo decreto no Ceará; setores esperam flexibilização

Hotelaria aguarda liberação de bares, restaurantes e barracas de praia aos fins de semana; comércio espera ampliar o funcionamento para o Dia das Mães

Escrito por Samuel Quintela, samuel.quintela@svm.com.br

Negócios
Legenda: Para a Abih-CE, liberação de bares e restaurantes aos fins de semana pode impulsionar desempenho do turismo e dos hotéis no Estado
Foto: Mateus Ferreira

Empresários cearenses já estão na expectativa de maior flexibilização das medidas de isolamento na próxima semana. Qualquer decisão, no entanto, segundo o secretário executivo de Planejamento e Gestão do Ceará, Flávio Ataliba, só deverá ser confirmada após a reunião do Comitê Estadual de Retomada nesta sexta-feira (30). 

Para o setor hoteleiro, o desejo é que o Estado volte a liberar o funcionamento de bares, restaurantes e barracas de praia aos fins de semana. Segundo o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis no Ceará (Abih-CE), Régis Medeiros, essa flexibilização poderia ajudar a impulsionar o fluxo turístico no Estado, melhorando o desempenho dos hotéis. 

Segundo Medeiros, a ampliação do horário de funcionamento das barracas de praia, especialmente, é um vetor muito importante para o fluxo turístico da região. "Poderíamos voltar àquele estágio anterior ao lockdown, com bares, restaurantes e barracas de praia ficando abertas no fim de semana", defendeu. 

"Isso ajuda o turismo porque as pessoas que vêm de fora poderiam fazer um passeio no fim de semana, aproveitar os serviços e voltar para o hotel à noite. Isso seria importante", completou. 
Régis Medeiros
Presidente da Abih-CE

Dia das Mães

Com expectativa semelhante, o comércio espera que o Estado possa flexibilizar o decreto de isolamento atual por conta do Dia das Mães, no dia 9 de maio. Segundo o presidente da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Ceará (FCDL-CE), Freitas Cordeiro, empresários vêm tentando diálogo com entes estaduais e municipais nas últimas semanas. 

Ele comentou que o pleito é para haver flexibilização maior para o comércio no período, já que o Dia das Mães é a segunda melhor data para vendas, depois do Natal. 

"Gostaríamos que houvesse uma flexibilização para o comércio, para o Dia das Mães, a segunda data comemorativa do varejo, somente perdendo para o Natal, o que viria a ser um alento para o varejo", disse.
Freitas Cordeiro
Presidente da FCDL-CE

Cordeiro, contudo, acredita que o Governo do Estado vá optar pela prorrogação do decreto atual,  com base nos altos índices de contaminação e de óbitos pelo novo coronavírus no Ceará. 

"Acredito que ainda teremos mais uma prorrogação das medidas protetivas, pois os números apontados pelas estatísticas em relação às demandas de saúde permanecem altos. Estamos em momento de estabilidade, com tendência para queda, embora em um platô ainda muito alto", ponderou.

Legenda: Comércio projeta maior flexibilização do decreto para aproveitar o Dia das Mães, segunda principal data comemorativa para o varejo local, segundo a FCDL-CE
Foto: Natinho Rodrigues

Dúvidas sobre decreto

Já para os setores de alimentação fora do lar e de eventos, ainda há muitas dúvidas sobre as próximas decisões do Governo do Estado. 

O presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes no Ceará (Abrasel-CE), Taiene Righetto, disse haver expectativa entre os empresários de que haja nova flexibilização do decreto para bares e restaurantes, considerando a redução nos números relacionados à pandemia no Estado. 

"Esperamos, sim, uma maior flexibilização, visto que felizmente o fator de transmissão está abaixo de 1, leitos de UTI estão desafogando e mortalidade diminuindo bem", explicou. 

Em uma situação bem diferente, a presidente do Sindicato das Empresas Organizadoras de Eventos e Afins do Estado do Ceará (Sindieventos-CE), Circe Jane Teles, disse apenas que o Governo ainda não convocou os empresários do setor para discutir o assunto. 

Confirmação aguardada

Apesar da expectativa dos empresários, o secretário executivo de planejamento e gestão do Governo do Estado e coordenador do Comitê da Retomada, Flávio Ataliba, confirmou que qualquer decisão sobre novas condições de funcionamento das empresas será tomada apenas após a reunião. 

"(A decisão será tomada) só amanhã", disse ontem Ataliba.

O Comitê deverá observar os dados relacionados ao avanço da covid-19 no Ceará, ouvir os pleitos dos empresários e as recomendações da Secretaria da Saúde do Estado (Sesa). 

 


Allisson Martins

O Agronegócio e os Derivativos

Allisson Martins
24 de Maio de 2022