Comércio varejista e salões de beleza: cumprimento de protocolos gera mais confiança em clientes

Gestor do Sebrae destaca as principais recomendações a serem seguidas durante o retorno às atividades econômicas.

Salão de beleza
Legenda: É preciso utilizar máscara e combiná-la com o face shield para procedimentos mais detalhados, como depilação e estética
Foto: Divulgação

Cumprir rigorosamente todos os protocolos exigidos pelas autoridades em saúde pública é um dos grandes desafios dos negócios que estão retomando suas atividades, sejam eles essenciais ou não, como o comércio varejista e os serviços de beleza. Para auxiliá-los nesse esforço, o Sebrae-CE criou o Revita, um programa com ferramentas e orientações específicas para cada setor. “Sem distinção de setor ou segmento, o intuito do Sebrae é o de colaborar na orientação do empresário de um pequeno negócio, na retomada de suas atividades nesse cenário de pandemia”, destaca José Ivan da Silva Moreira, gestor estadual do Comércio Varejista e Serviços do Sebrae-CE.  

O programa disponibiliza aos empreendedores uma série de conteúdos com protocolos editados pelo Sebrae em e-books, vídeos e check-list. “São importantes ferramentas orientativas para as pequenas empresas varejistas e para empresas de estética e beleza, pois traz conteúdos com orientações gerais e especificas sobre cada segmento empresarial, sejam elas de atividades essenciais e não essenciais, objetivando que as mesmas possam cumprir todos os protocolos estabelecidos pelas autoridades governamentais e de saúde para a reabertura dos negócios, de tal sorte a oferecerem condições de higiene adequada e segurança para os proprietários, colaboradores e clientes das empresas”, explica José Ivan da Silva Moreira.

Para o gestor do Sebrae-CE, é importante que, neste momento, as empresas mostrem aos seus clientes atuais e potenciais que estão cumprindo com os protocolos estabelecidos pelas autoridades governamentais e de saúde, apresentando mensagens, informações, fotos, vídeos, depoimentos e lives, por meio do site, marketplace, Instagram, Facebook, WatsApp e outras mídias sociais que a empresa utilize. “Essa atitude deverá gerar maior credibilidade e segurança para os clientes irem em busca dos serviços dessa empresa”, constata.

O consumidor precisa saber se as lojas, sejam as de rua ou de shopping, estão cumprindo os protocolos exigidos. A recomendação é apresentar esses cuidados “de forma prática e de fácil visualização no dia a dia da operação do seu negócio, através da postura dos seus colaboradores e organização visual da loja, para que o consumidor se sinta seguro nos ambientes”, indica José Ivan da Silva Moreira.

Comércio varejista
Para voltar à rotina de compras com segurança e confiança, o consumidor precisa saber se as lojas, sejam as de rua ou de shopping, estão cumprindo os protocolos exigidos. A recomendação é apresentar esses cuidados “de forma prática e de fácil visualização no dia a dia da operação do seu negócio, através da postura dos seus colaboradores e organização visual da loja, para que o consumidor se sinta seguro nos ambientes”, indica José Ivan da Silva Moreira.

Uma dica é utilizar meios audiovisuais, áudios, locutores ou cartazes para comunicar a exigência de manter a distância mínima de segurança de 1,5 metro entre os clientes e colaboradores. Além disso, os comerciantes devem cobrir a maquininha do cartão com filme plástico, para facilitar a higienização após o uso e colocar álcool em gel no caixa para o uso dos clientes. Fornecedores e/ou distribuidores devem ser atendidos em um local específico, de preferência em local e horário separado do atendimento ao seu público, seguindo todas as recomendações de higiene e saúde.

Salões de beleza
Atentar para os cuidados de higiene é importante para todos os setores, mas no segmento de beleza e estética ainda mais. Salões, barbearias, maquiadores e clínicas de estética devem trabalhar como se todos que entram no estabelecimento estivessem infectados com o novo coronavírus.

Como observa José Ivan da Silva Moreira, para este setor os maiores desafios são: a limpeza constante do ambiente, o cuidado em evitar aglomeração de pessoas, o cumprimento do distanciamento mínimo entre clientes que estão em espera e atendimento dentro dos salões e os cuidados com a esterilização e a higienização dos equipamentos e instrumentos de trabalho utilizados na realização dos serviços.

Para evitar aglomeração, orienta-se o agendamento e, sempre que um cliente entrar no salão/loja, realizar pesquisa em caráter informativo, questionando se o mesmo apresenta sintomas relacionados à Covid-19. Antes de iniciar as atividades diárias e entre atendimentos, deve-se realizar a limpeza e desinfecção química, respeitado o tipo de material, nos locais de contato do cliente, a saber: bancadas, poltronas, cadeiras, macas e afins.

Atenção aos detalhes
De acordo o gestor do Sebrae-CE, os empresários devem ler e conhecer detalhadamente os protocolos relacionados com sua atividade e liderar o processo de implantação dos protocolos na reabertura das suas empresas. Recomenda ainda fazer a checagem diária do ckeck-list para ver se tudo está dentro dos conformes para a operação diária do negócio. “Todos os pontos são importantes de serem observados. Mas é importante, também, verificar aqueles mais específicos que são tratados nos e-books editados pelo Sebrae e direcionados as especificidades de cada atividade empresarial”, finaliza José Ivan da Silva Moreira.

Saiba mais:
www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/protocolosderetomada

logo