Cesta básica fica 3,21% mais barata em Fortaleza em maio, mas ainda é a mais cara do Nordeste

Dado é referente à pesquisa do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese)

Legenda: Em maio, seis dos 12 produtos tiveram retração nos preços, com destaque para o feijão, que sofreu deflação de 17,81%.
Foto: Foto: Alex Costa

O  conjunto dos itens básicos de alimentação ficou 3,21% mais barato em Fortaleza no mês de maio. No entanto, a Capital possui a cesta básica mais cara do Nordeste, segundo pesquisa divulgada pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) nesta quinta-feira (6).

Considerando as capitais da Região, a cesta básica em Fortaleza lidera o ranking, custando  R$444, seguida de Recife (R$ 417), Aracaju R$ (408) e Natal (R$ 406). Salvador foi a capital que apresentou menor custo, de R$392. 
 
Em relação a abril, para a capital cearense houve uma diminuição de  R$14,76, quando a soma dos produtos essenciais custavam R$ 459. 

Itens

Em maio, seis dos 12 produtos tiveram retração nos preços, com destaque para o feijão, que sofreu deflação de 17,81%. O  tomate (10,15%), o café (2,36%) e óleo (1,82%) também ficaram mais baratos. Já o leite (3,57%), o arroz (1,34%) e a carne (0,99%) apresentaram alta nos preços. 

Para o trabalhador que ganha um salário mínimo (R$ 998), os custos com alimentação corresponderam, em maio, a 43,75% rendimento mensal, com uma jornada de trabalho de 98 horas e 12 minutos no mês. 

Contudo, o gasto médio de uma família padrão (dois adultos e duas crianças) é de R$ 1.333,32, de acordo com o Dieese.

No semestre, a cesta básica de Fortaleza registrou uma inflação de 7,96% e na série de 12 meses, uma variação de 13,73%.


Categorias Relacionadas