Ceará tem o melhor índice de atividades turísticas do País

Índice e receita avançaram no Estado em novembro, segundo pesquisa do IBGE

Legenda: O Estado teve um crescimento de 5,4% no acumulado ao ano, enquanto o País apontou uma alta de 2,6%
Foto: Foto: José Leomar

O Ceará registrou o melhor índice de atividades turísticas do Brasil em novembro do ano passado. O Estado teve um crescimento de 5,4% no acumulado ao ano, enquanto o País apontou uma alta de 2,6%, de acordo com os dados da Pesquisa Mensal de Serviços, divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta terça-feira (14).

Ficaram abaixo do Ceará: São Paulo (5,1%), Espírito Santo (3,2%), Minas Gerais ( 2,5%) e Rio de Janeiro ( 2,3%). Em relação aos estados do Nordeste, o Ceará liderou o ranking, seguido da Bahia (1,7%) e Pernambuco ( 1,3%).

Segundo o IBGE, em novembro, no Estado, o índice avançou 2,6% ante 1,4% de outubro. Em comparação ao mesmo mês de 2018, o crescimento foi de 3,5% e de 6% nos últimos 12 meses. 

Receita Nominal

A receita nominal das atividades turísticas no Ceará obteve o maior resultado do Brasil, em novembro, com um avanço de 4,9%  ante uma variação negativa de 2,2% em outubro. Logo em seguida, estão: Distrito Federal (2,6%), Rio Grande do Sul (1,7%), Espírito Santo ( 1,5%) e Goiás (1%).

em comparação a  novembro de 2018, o crescimento foi de 5,3%.  No acumulado ao ano, a receita nominal foi de 7,4% e nos últimos 12 meses de 8,4%.

Outros setores

O volume de atividades no Ceará, apontou uma alta de 4,2% em relação a novembro de 2018. O resultado foi impulsionado pelo grupo transportes serviços auxiliares aos transportes e correio que obteve um crescimento de 5% no período.

Em novembro, o indicador registrou um leve recuo de 0,2% ante 1,9% de outubro. Das 5 atividades pesquisadas pelo IBGE, três apresentaram crescimento, com destaque para outros serviços, com progressão de 19,6%, seguida de transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio (10,1%) e Serviços profissionais, administrativos e complementares (1,7%).

Com o resultado, o Estado contém um crescimento de 6,5% na receita nominal em relação a novembro de 2018. Um avanço de 2,5% no ano e de 1,9% nos últimos 12 meses.


Assuntos Relacionados