Ceará já fez quase 300 solicitações por selo Turismo Responsável

Certificação é importante porque atesta os estabelecimentos e profissionais do turismo que adotam as medidas e protocolos de combate à pandemia do novo coronavírus. Meios de hospedagem lideram pedidos

Legenda: Setor turístico se planeja para recuperar a confiança dos consumidores
Foto: Divulgação

Pensando na preparação para a volta das atividades turísticas no Ceará, 297 prestadores de serviços do setor já solicitaram ao Ministério do Turismo a emissão do selo "Turismo Responsável - Limpo e Seguro", que atesta o cumprimento de protocolos de prevenção à Covid-19.

Os segmentos com maior número de solicitações do selo no Estado são os de meio de hospedagem (125), agência de turismo (74), transportadora turística (37) e bares, restaurantes e cafeterias (19).

Para Régis Medeiros, presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis no Ceará (Abih-CE), o selo é uma importante chancela do Ministério do Turismo aos estabelecimentos e prestadores de serviços turísticos que estão seguindo os protocolos sanitários. "O selo equaliza o Brasil como um todo. A partir do momento em que uma agência diz que aquele hotel, receptivo, ou estabelecimento está seguindo o protocolo do Ministério do Turismo, o cliente que está comprando fica mais tranquilo", diz.

Medeiros destaca ainda que o selo se soma aos protocolos estaduais. "Isso não exclui a nossa obrigação, como destino turístico, de seguir os protocolos do Estado. Eles se somam. O importante é deixar o turista que queira vir a Fortaleza mais seguro, com relação à higiene e saúde".

Na região Nordeste, 2.013 prestadores de serviços turísticos já solicitaram a emissão do selo. Em todo o Brasil já são mais de oito mil pedidos.

Acesso ao selo

Para ter acesso ao selo, as empresas e guias de turismo precisam estar devidamente inscritos no Cadastur (Cadastro de Prestadores de Serviços Turísticos).

Essa é a primeira etapa do Plano de Retomada do Turismo Brasileiro, com o objetivo de diminuir os impactos da pandemia e preparar o setor para um retorno gradual das atividades.

Segundo o ministério, o selo, além de ser um incentivo para que os consumidores se sintam seguros ao viajar, posiciona o Brasil como um destino protegido e responsável. A iniciativa foi lançada há pouco mais de um mês e busca auxiliar o setor de turismo brasileiro a retomar as suas atividades o mais breve possível.

O selo é gratuito e contará com um QR Code pelo qual o turista poderá consultar as medidas adotadas por aquele empreendimento, possibilitando ainda a realização de denúncias em caso de descumprimento, o que poderá resultar em revogação do selo.

Estão disponíveis protocolos para Meios de Hospedagem; Agências de Turismo; Transportadoras Turísticas; Organizadoras de Eventos; Parques Temáticos; Restaurantes, Cafeterias, Bares e similares; Parques Temáticos Aquáticos; Locadoras de veículos, dentre outros.

 


Assuntos Relacionados