Carro próprio lidera ranking de bens mais financiados

De acordo com pesquisa da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção de Crédito (SPC Brasil), a maior motivação dos brasileiros na hora de financiar é a possibilidade de realizar um sonho de consumo

Legenda: Cerca de 10% dos consumidores foram bem sucedidos na hora de realizar o financiamento
Foto: Foto: José Leomar

Quando o assunto é financiamento, 49% dos brasileiros optaram por essa modalidade de crédito para financiar o carro próprio (16%) nos últimos 12 meses, segundo dados divulgados pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção de Crédito (SPC Brasil) nesta quinta-feira (18).

O sonho de ter a casa própria aparece como o segundo maior motivo pelos financiamentos (15%).  Outras razões apontadas pelos entrevistados da pesquisa revelam que optaram pela modalidade de crédito para aquisição de eletrônicos (15%), eletrodomésticos (14%) e imprevistos e necessidades (28%). 

Segundo a pesquisa, a maior motivação dos brasileiros na hora de financiar é a possibilidade de realizar um sonho de consumo (45%). No entanto, 81% dos entrevistados preferem não se comprometer com parcelas.

Segundo José Vignoli, educador financeiro do SPC Brasil, o financiamento é uma boa oportunidade para a vida das pessoas, mas se necessita de um bom planejamento financeiro.

“O financiamento pode ser um grande passo na vida de uma pessoa ou de uma família: É a chance de sair do aluguel, de adquirir bens de valor maior, para começar um negócio, enfim, as possibilidades são infinitas. Mas todo o sucesso do projeto dependerá de um bom planejamento financeiro”, ressalta.

Avaliação

Mais da metade dos brasileiros (82%) contrataram um financiamento afirmam ter avaliado seu orçamento antes de assinar o contrato. Apesar disso, cerca de 10% arriscaram adquirir a modalidade de crédito sem checar a real possibilidade de cumprir com as prestações do contrato.

Para Vagnoli, os consumidores devem analisar se realmente possuem condições de arcar com as parcelas, pois os contratos duram anos. 

“Contratar qualquer modalidade de crédito sem saber se as parcelas caberão no orçamento é um grande risco, pois estamos falando de um contrato de anos, geralmente. Se o bem adquirido for um carro, por exemplo, não basta calcular apenas a prestação, mas também os novos custos que vão impactar o orçamento mensal, como combustível, seguro, IPVA, etc”, alerta.   

Tentativas frustradas

Cerca de 10% dos consumidores foram bem sucedidos na hora de realizar o financiamento, isso representa um aumento de 4% em relação a 2018. O nome sujo foi o principal motivo para a falta de sucesso na contratação do financiamento (38%), seguido de renda insuficiente (37%) e falta de garantias solicitadas pelos credores (16%).


Categorias Relacionadas