Caixa já pagou R$ 8,8 bilhões em parcelas do auxílio emergencial no Ceará

A cifra é a terceira maior do Nordeste, atrás apenas de Pernambuco (R$ 9,3 bilhões) e da Bahia (R$ 14,6 bilhões)

print
Legenda: "Temos que comemorar o sucesso da utilização digital. Nós tivemos 17 vezes mais pessoas utilizando os aplicativos do que o saque efetivamente na boca do caixa", pontuou Guimarães.
Foto: Reprodução

A Caixa Econômica Federal já repassou R$ 8,8 bilhões em pagamentos do auxílio emergencial no Ceará. O valor corresponde a 5,5% do total destinado ao programa no País (R$ 151 bilhões). A cifra é a terceira maior do Nordeste, atrás apenas de Pernambuco (R$ 9,3 bilhões) e da Bahia (R$ 14,6 bilhões).

Em transmissão ao vivo pelas redes sociais, o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, apresentou os dados de pagamentos e ressaltou que as regiões Nordeste e Norte têm recebido proporções de recursos mais expressivas que suas partipações no PIB (Produto Interno Bruto) e na população.

Ele detalhou que, no caso do Nordeste, 34,4% dos recursos do auxílio emergencial foram para a região, enquanto a participação da localidade no PIB de 2017 foi de 14,5%. A apresentou ainda mostrou que 27,2% dos brasileiros viviam no Nordeste em 2019.

A relação também acontece no Ceará, tendo recebido 5,5% dos recursos para o benefício e respondendo por 2,2% do PIB e 4,3% da população.

Caixa TEM

Até às 8h desta terça-feira (18), o aplicativo Caixa TEM já tinha 206,8 milhões de downloads em todo o Brasil. Guimarães comemorou o número de operações de compra através da plataforma.

Ele revelou que, até esta segunda (17), já haviam sido feitas 473,9 milhões de compras pelo aplicativo, correspondendo a R$ 21,3 bilhões movimentados. Desse total, 382,3 milhões de operações foram feitas com o débito virtual e 91,6 milhões com o QR Code.

Somente nesta segunda, a Caixa registrou 2 milhões de pagamentos de boletos e contas de água e luz pelo Caixa Tem, somando R$ 701,1 milhões. Ainda houveram 1,3 milhões de compras com a função débito cartão virtual (R$ 469,2 milhões).

"De saques em espécie, nós tivemos 195,6 mil operações, totalizando R$ 193,5 milhões. Temos que comemorar o sucesso da utilização digital. Nós tivemos 17 vezes mais pessoas utilizando os aplicativos do que o saque efetivamente na boca do caixa", pontuou Guimarães.

Ele ainda pediu que as pessoas atualizem o Caixa TEM para a nova versão disponível, de forma que os beneficiários consigam ter acesso a todas as funções disponibilizadas. "Nós já temos mais de 20 versões do aplicativo. Quem tem a mais antiga e ainda não realizou a atualização, pode não conseguir comprar com o QR Code, que foi uma função que nós disponibilizamos nos últimos 45 dias", explicou.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre negócios