Bandeira verde é mantida por Aneel no mês de julho, sem novo reajuste na conta de luz

Conta não terá nenhuma taxa adicional ao valor pago na tarifa de energia elétrica

Escrito por Redação,

Negócios
Legenda: A conta de luz teve reajuste de 25% anunciado no fim de abril
Foto: Thiago Gadelha

A bandeira verde será mantida nas contas de energia no mês de julho, conforme anúncio da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), na noite desta sexta-feira (24). Assim, a conta de luz não terá adição de novas taxas. As informações são do Metrópoles

As bandeiras são valores extras cobrados quando o custo de produção da energia sobe no País. Atualmente, está em vigor a bandeira verde, que não prevê cobranças a mais.

Essa medida é válida para todas as regiões do Brasil inseridas na malha de transmissão do Sistema Interligado Nacional (SIN).

Desde dezembro de 2021, os beneficiários da tarifa social pagam a conta de luz com bandeira verde. A população geral só foi beneficiada pela categoria a partir do dia 16 de abril, após o fim da Bandeira de Escassez Hídrica.

Mudança dos valores das bandeiras tarifárias

Nesta terça-feira (21), a Aneel anunciou reajuste nos valores das bandeiras tarifárias em até 63,7% a partir de 1º de julho.

Com a atualização, a bandeira vermelha patamar 1 sofrerá o maior aumento, de 63,7%, e passará de R$ 3,971 para R$ 6,500 a cada 100 kWh consumidos.

A bandeira amarela também vai registrar forte correção de 59,5%, saindo de R$ 1,874 para R$ 2,989 a cada 100 kWh consumidos. 

Confira as mudanças nas bandeiras:

  • Bandeira verde: segue sem valores adicionais
  • Bandeira amarela: de R$ 1,874 para R$ 2,989 a cada 100 kWh consumidos (59,5%)
  • Bandeira vermelhar 1: de R$ 3,971 para R$ 6,500 a cada 100 kWh consumidos (63,7%)
  • Bandeira vermelha 2: de R$ 9,492 para R$ 9,795 a cada 100 kWh consumidos (3,2%)

 

O que são as bandeiras tarifárias

As bandeiras tarifárias foram introduzidas em 2015 como uma forma de repassar para o consumidor de forma imediata os custos da geração de energia, tanto como uma forma de desincentivar o consumo como para evitar reajustes anuais exorbitantes.

A bandeira verde é acionada quando as condições de geração de energia, e os custos, estão favoráveis. A amarela, quando estão menos favoráveis. A vermelha 1, com condições desfavoráveis. E a vermelha 2, em condições muito desfavoráveis.

Conforme a Aneel, o sistema sinaliza o custo real da energia gerada, o que possibilita aos consumidores um melhor uso da energia elétrica.

"Esse custo é pago de imediato nas faturas de energia, o que desonera o consumidor do pagamento de juros da taxa Selic sobre o custo da energia nos processos tarifários de reajuste e revisão tarifária”, concluem. 

Assuntos Relacionados