Bancos recomendam que clientes busquem atendimento virtual e evitem aglomerações em agências

A orientação é usar os canais digitais, como internet banking e aplicativos. Se for preciso sacar dinheiro, a dica é utilizar uma rede de mais de 170 mil caixas eletrônicos pelo País

Legenda: Orientação dos bancos é para que pessoas evitem aglomerações
Foto: Foto: Natinho Rodrigues

Em tempos da pandemia do novo coronavírus, evitar aglomerações é uma das principais recomendações de órgãos de saúde. No entanto, muitas pessoas têm desrespeitado essa orientação, como tem ocorrido, principalmente, nas portas de diversas instituições bancárias. A Federação Brasileira de Bancos (Febraban) aconselha os clientes a evitarem ao máximo irem às agências.

.Sebrae-CE aponta alternativa para micro e pequenos conseguirem crédito e enfrentarem pandemia

.FGTS: Saque de até R$ 998 vai até esta terça; veja como fazer pelo celular

"Por meio dos canais digitais (internet banking e aplicativos), é possível realizar quase todas as operações bancárias e ter aceso a diversos produtos e serviços (fazer transferência, tirar extrato, pagar contas, pedir empréstimo, negociar dívidas, contratar seguros, etc). Esses canais são pensados para oferecer uma experiência simples e fácil, mas caso a pessoa não tenha familiaridade com eles, recomendamos que ela peça ajuda a alguém da confiança dela, como um parente ou um amigo", recomenda a instituição.

Caso a pessoa precise fazer saques ou depósitos, a Febraban recomenda que os clientes usem a rede de mais de 170 mil caixas eletrônicos espalhados pelo País, evitando aglomerações nas agências.

"A atividade bancária faz parte do grupo dos serviços considerados essenciais, assim como saúde, segurança, alimentação e farmácia. Por isso não pode ser interrompida totalmente. E é compromisso das instituições financeiras preservar a segurança de funcionários e clientes no exercício do atendimento bancário, especialmente quando se tratam de segmentos mais vulneráveis da população, como os idosos, gestantes e portadores de deficiência", informa. 

A Federação listou ainda uma série de medidas de segurança que foram adotadas para tornar as agências aptas a prestar atendimento a esse público: 

- Foram asseguradas as condições de um ambiente de trabalho com proteção à saúde: higienização, distanciamento entre os postos de trabalho, controle do número de pessoas dentro da agência, organização de filas para que não haja contato entre os próprios clientes;

- Em regime contingenciado, ou seja, com limite de pessoas no interior das agências e apenas com transações essenciais, as agências realizarão atendimento ao público pelo período mínimo das 10 horas às 14 horas, enquanto for necessário para atender às necessidades de combate à disseminação do Covid-19, responsável pela atual pandemia;

- Para atendimento exclusivo para idosos, gestantes e pessoas portadoras de deficiências, o atendimento será das 9 horas às 10 horas, para impedir uma eventual contaminação de outros públicos com os grupos mais vulneráveis;

- Várias atividades administrativas devem ser feitas dentro da agência bancária para dar suporte ao atendimento não só presencial como nos canais digitais e remotos;