Auxílio emergencial: dinheiro já está na conta de 2,5 milhões de clientes da Caixa e do BB

Governo faz ponderação para que as pessoas não tenham pressa em movimentar o dinheiro para não causar aglomeração nas agências

Legenda: A posição sobre saída do Moro é do presidente Bolsonaro. Não vejo nenhuma mudança na direção da economia. O ministro da Economia, Paulo Guedes, meu chefe, tem plano claro", disse Guimarães
Foto: Foto: Marcello Camargo/Agência Brasil

Mais de 2,5 milhões de brasileiros já receberam nesta quinta-feira (09) o depósito do primeiro pagamento do auxílio emergencial de R$ 600, segundo o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães.

Receberam primeiro o benefício correntistas do Banco do Brasil (BB) e poupadores da Caixa cadastrados no Cadastro Único (CadÚnico) que cumprem os requisitos para ter acesso. Guimarães detalha que 2 milhões de beneficiários receberam através de contas da Caixa e 500 mil pelo Banco do Brasil (BB).

> Veja como se cadastrar para receber os R$ 600

> Situação do CPF pode ser consultada na internet

> Saiba quem tem direito ao auxílio e o calendário de saques

> Auxílio não poderá ser usado em dívidas pendentes

"O valor já está na conta das pessoas. Não precisa ter pressa, nem ir às agências", afirmou o presidente da Caixa. Num primeiro momento, os valores só poderão ser movimentados via aplicativo, internet banking, bem como para pagamentos com cartão de débito. Posteriormente, o Governo irá divulgar um calendário para o saque em espécie, a fim de evitar aglomerações.

O presidente do banco ainda revelou que, entre segunda (13) e terça-feira (14), mais 4 milhões de pessoas receberão o pagamento do auxílio emergencial.

Até o momento, 28 milhões de pessoas já realizaram o cadastro para receber o auxílio. As solicitações foram enviadas para a Empresa de Tecnologia e Informações da Previdência (Dataprev), que irá verificar as informações fornecidas e se o solicitante atende às condições.

Para receber o pagamento de R$ 600 é preciso atender as seguintes condições:

  • Ser titular de pessoa jurídica (micro empreendedor individual ou MEI)
  • Estar inscrito no Cadastro Único (CadÚnico) para programas sociais do Governo Federal até o último dia 20 de março
  • Cumprir o requisito de renda média (renda mensal de até meio salário mínimo por pessoa e de até 3 salários mínimos por família) até 20 de março de 2020
  • Ser contribuinte ou facultativo do Regime Geral de Previdência Social
  • Ter mais de 18 anos de idade
  • Ter renda mensal de até meio salário mínimo por pessoa (R$ 522,50)
  • Ter renda mensal de até 3 salários mínimos (R$ 3.135) por família
  • Não ter recebido rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 em 2018