Anatel: reclamações dos serviços de telecom no Ceará caem 18,2%

Redução observada em 2019 nos registros da Agência foi a primeira desde 2017, segundo o relatório divulgado ontem. Movimento é inverso ao da portabilidade numérica, que apontou avanço no último ano

Legenda: Neste ano, a Anatel contabilizou 6,5 mil reclamações entre telefonia móvel e fixa, TV por assinatura e banda larga.
Foto: Foto: Camila Lima

O número de reclamações dos assinantes de serviços de telecomunicações, como telefones fixo e móvel, banda larga e TV por assinatura, no Ceará, recuou pela primeira vez desde 2017, segundo informou relatório da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). Foram 74,5 mil registros feitos pelos cearenses no canal da Anatel no último ano, o que representou uma redução de 18,2% nas queixas ante 2018 (91 mil).

O dado aponta um movimento inverso ao da portabilidade, cujo avanço foi de 37% no Estado no último ano contra 2018, de acordo com a ABRTelecom. Em 2017, 2016 e 2015, as queixas somaram, respectivamente, 86 mil, 105,2 mil e 116,4 mil registros.

O levantamento contabiliza ainda o desempenho das grandes, médias e pequenas operadoras de telecom no Estado, e identifica, somente no primeiro mês deste ano um total de 6,5 mil reclamações.

Insatisfação nacional

No País, o número de reclamações, apresentou, em 2019, um crescimento de 1,28%, em relação ao registrado em 2018. Em 2019, segundo a Anatel, foram 3.018.934 reclamações de consumidores - 36,5 mil reclamações a mais do que as registradas em 2018, que somaram 2.982.349.

Segundo a Agência, no balanço total, Brasil fechou o ano de 2019 com 308,6 milhões de acessos aos diferentes serviços de telecomunicações, dos quais 32,56 milhões de acessos foram do serviço de banda larga fixa, um crescimento de 4,30% no ano.

O serviço também foi o que teve a maior variação no percentual de insatisfações, com um crescimento de 15,68% no número de reclamações em 2019, na comparação com o apurado em 2018. No total, foram registradas 580.680, quase 80 mil queixas a mais do que em 2018. O serviço de telefonia móvel pós-paga vem na sequência com o maior número de reclamações. Em 2019, foram registradas 1.043.533 queixas, contra 973.770 em 2018, o que representa um crescimento de 7,16% no número de reclamações.

Nos demais serviços, o relatório mostra que o volume de queixas acompanhou de perto o crescimento ou a queda no número de consumidores, o que, segundo a Anatel, sugere estabilização de reclamações após as quedas consecutivas desde 2015.

No serviço celular pré-pago, foram registradas 377 mil queixas contra 400 mil em 2018, uma redução de 5,75%. Na telefonia, a redução foi ainda maior, de 10,01%, com 595 mil contra 661 mil, em 2018. Na TV por assinatura, a redução no número de reclamações foi 4,37%, com 383 mil registrados em 2018 e 366 mil no ano passado.

"Questões relacionadas à cobrança e ao crédito pré-pago foram os maiores motivadores de registros: cerca de 1,24 milhão em 2019, ou 42% do total das reclamações. Queixas envolvendo a qualidade e o funcionamento dos serviços, por outro lado, sofreram redução significativa, de quase 10% em números absolutos, ou 53 mil. Em 2019, reclamações sobre qualidade e funcionamento corresponderam a 16% das queixas registradas na Anatel, contra 18% no ano anterior", disse a empresa.

Como reclamar

Segundo a Agência, os consumidores podem registrar reclamações contra prestadoras no site anatel.Gov.Br; do app para celulares Anatel Consumidor e da Central de Atendimento Telefônico, que atende gratuitamente de 8h às 20h nos dias úteis no número 1331.