Abrasel apresenta ao Governo do Estado protocolo de retomada de atividades impedidas de funcionar

Documento beneficiaria segmento de bares e eventos

fotografia
Legenda: As mesas do estabelecimento deverão obrigatoriamente manter uma distância entre si de 2 metros

Entidades representantes de setores da economia que ainda não puderam retomar suas atividades no Ceará elaboraram em conjunto um protocolo de reabertura segura. O documento foi apresentado à Casa Civil nesta terça-feira (11). 

O protocolo foi construído em reuniões da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) no Ceará com humoristas, artistas, produtores de shows, buffets e músicos. O objetivo seria mostrar ao poder público que estes setores estão prontos para voltar ao trabalho, assim como cobrar posicionamento das autoridades responsáveis.

 

Não podemos permanecer desta forma, sem o mínimo de previsibilidade em relação ao retorno das nossas atividades, enquanto que os índices de saúde previstos pelo Governo e Prefeitura já foram alcançados, felizmente. Nosso intuito é contribuir, sugerindo as regras que irão nos nortear nesta retomada, e cobrar uma resposta urgente do poder público”, diz Rodolphe Trindade, presidente da Abrasel no Ceará.

O protocolo detalha normas de funcionamento, que norteariam a retomada dos bares, buffets, eventos e outros. Em seis páginas, o documento pontua normas gerais; orientações sobre transporte e turnos para evitar aglomerações; uso de EPIs, acompanhamento da saúde dos funcionários; condições sanitárias do ambiente de trabalho; e orientações sobre a realização de eventos.

Entre as normais gerais estão observar as normas de combate à Covid-19 dos órgãos de saúde pública, evitar reuniões presenciais e dar preferência a videoconferências, verificar o cumprimento dos protocolos junto aos fornecedores e terceirizados, orientar os funcionários que devem evitar excessos ao falar, tocar o rosto, nariz, boca e olhos durante suas atividades laborais, implementar campanhas de conscientização e cartilhas de capacitação dos trabalhadores sobre higiene pessoal e medidas de prevenção, entre outros. Ainda é previsto a delgação de uma pessoa para supervisionar as novas práticas a cada semana, em sistema de rodízio.

No âmbito do transporte e turnos, a Abrasel propõe que as empresas com funcionários que utilizem o transporte público cumpram o horário de abertura e encerramento de acordo com o plano de escalonamento de horários vigente, para minimizar picos de aglomerações no transporte público. Em caso de transporte fornecido pela empresa, deverá ser mantida a ventilação natural dentro dos veículos com abertura de todas as janelas.

As medidas relacionadas a EPIs impedem o acesso de qualquer pessoa, seja funcionário, terceirizado, gestor, proprietário ou visitante, que não esteja com o uso devido de EPIs. A sessão também sugere um plano de suplemento, estoque, uso e descarte de EPIs e materiais de higienização com fácil acesso a todos os seus funcionários, terceirizados, visitantes, clientes e usuários.

Sobre a saúde dos funcionários, o protocolo indica o monitoramento diário dos sintomas da Covid-19 em funcionários e terceirizados, a elaboração de plano de testes de diagnóstico para seus colaboradores, seguindo a  periodicidade e cobertura recomendadas pela Secretaria de Saúde do Estado (Sesa), a comunicação a  familiares e autoridades sanitárias da suspeita ou confirmação de funcionários do contágio, entre outros.

Entre as condições sanitárias, a Abrasel sugere a adaptação do ambiente, com sistemas de escala e capacidade de forma a respeitar distanciamento mínimo de 2 metros entre funcionários e entre clientes; manter os ambientes arejados por ventilação natural; etc.

Eventos

Para o setor de eventos, há uma série de protocolos específicos. Conforme o documento, a flexibilização permitiria a abertura de casas de shows e eventos com até 50% da capacidade, sendo permitido funcionar até 18h no caso dos estabeleciemntos diurnos e até 1h para os noturnos. Bandas e músicos devem se manter afastados dos clientes em no mínimo 4 metros, além de utilizar máscaras, com exceção de vocalistas quando estiverem cantando.

Os clientes terão a temperatuda aferida na entrada do estabelecimento, impedido a entrada daqueles que estiverem identificados com quadro febril. Em caso de fila de espera para a entrada, o documento recomenda a  marcação de distanciamento de 2 metros e um funcionário disciplinar a fila.

As mesas do estabelecimento deverão obrigatoriamente manter uma distância entre si de 2 metros e os clientes informados que  poderão sentar-se à mesa lado a lado ou frente um ao outro com distância mínima de 1 metro, sendo admitido apenas 2 ocupantes por mesa. Para dançar, as pessoas deverão manter o distanciamento de 2 metros, demarcado no chão, e utilizar máscara.

Você tem interesse em receber mais conteúdo de negócios?