47º leilão de Biodiesel negocia 639,6 milhões de litros, por R$ 1,64 bi

O preço médio foi de R$ 2,565 por litro, sem considerar a margem Petrobras

Escrito por Estadão Conteúdo,

Negócios

O 47º Leilão de Biodiesel da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) terminou com 639,567 milhões de litros de biodiesel arrematados. O preço médio foi de R$ 2,565 por litro, sem considerar a margem Petrobras, e o valor total negociado atingiu o patamar de R$ 1,64 bilhão, um deságio médio de 19,04% quando comparado ao preço máximo de referência médio (R$ 3,168/L), informou a agência, em nota.

Todo o volume arrematado foi para mistura obrigatória, sendo 100% oriundo de produtores detentores do selo Combustível Social. A apresentação das ofertas de biodiesel ocorreu no último dia 26. Os 33 produtores disponibilizaram um volume total de 837,500 milhões de litros.

No primeiro dia de seleção das ofertas (28), foram arrematados 540,598 milhões de litros de biodiesel, em torno de 64,5% do total ofertado para todo o leilão. No segundo dia, outros 98,969 milhões de litros foram arrematados, cerca de 11,8% do total leiloado.

A apresentação de ofertas de biodiesel para mistura voluntária ao óleo diesel ocorreu na última segunda-feira (1º) em que foram disponibilizados 119,47 milhões de litros - 60,36% do saldo total de oferta não vendida para fins de adição obrigatória -, com preço médio de R$ 2,623/L, sem considerar a margem Petrobras. No entanto, nenhum volume foi negociado nessa etapa.

A ANP ressaltou que os leilões de biodiesel atendem à Lei nº 13.033, que estabelece em 7% o porcentual mínimo obrigatório de adição de biodiesel ao óleo diesel vendido ao consumidor final (B7). O 47º leilão tinha por objetivo garantir o abastecimento de biodiesel no mercado nacional durante o período de 1º de março a 30 de abril de 2016, conforme diretrizes das Portarias do Ministério de Minas e Energia nº 476, de 15/08/12, e nº 576, de 11/11/2015, e critérios estabelecidos no Edital de Leilão Público nº 001/16-ANP.

Os volumes comercializados somente serão validados após homologação pela diretoria da ANP.