Terremoto no Peru deixa um morto e 11 feridos

Tremor de magnitude de 8 graus atingiu a região de Loreto

Legenda: Abalo sísmico destruiu edificações em Yurimaguas, no Peru
Foto: AFP

Um forte terremoto com magnitude de 8 graus sacudiu, neste domingo (26), a região peruana de Loreto, provocando a morte de uma pessoa, 11 feridos, e a destruição de infraestruturas. "Fomos informados da morte de uma pessoas pela queda de uma rocha em sua casa no distrito de Huarango, na região de Cajamarca, declarou Ricardo Seijas, coordenador da Defesa Civil.

A vítima é Danilo Muñoz, de 48 anos. Ele estava dormindo no momento do terremoto. A Defesa Civil já contabilizou 11 feridos, 51 famílias afetadas, 53 casas destruídas e cinco colégios atingidos. O epicentro do terremoto, cuja magnitude foi de 8 segundo Instituto Geológico dos Estados Unidos (USGS), esteve localizado 70 quilômetros a sudeste de Lagunas, no norte do país, a uma profundidade de 141 quilômetros. Aconteceu às 2h41 (4h41 de Brasília).

Foto: AFP

Lagunas é um distrito da província do Alto Amazonas, na região de Loreto. Sua população é de 12.000 habitantes. Geralmente, quanto maior a profundidade do terremoto, menor o impacto ou dano causado na superfície. No entanto, a onda expansiva é, nesses casos, mais ampla, o que explica por que o tremor foi sentido no Equador, na Colômbia e na Venezuela. No Peru, além do Loreto, o terremoto foi sentido nas regiões norte e central de La Libertad, Tumbes, Piura, Lambayeque, San Martin e Cajamarca, bem como na capital do país. O tremor durou 127 segundos e na capital Lima fez com que a população saísse de casa no meio da madrugada e apesar da chuva.

O geólogo Patricio Valderrama, do Centro de Monitoramento e Prevenção de Desastres, disse que "no norte do Peru um terremoto como este não é sentido desde o tremor de 1970", referindo-se ao terrível terremoto de magnitude 7,9 que devastou a região de Ancash deixando mais de 70.000 mortos. O ministério do Interior informou em sua conta no Twitter que nenhuma vítima foi reportada até agora, mas algumas casas desabaram. Yurimaguas, a cidade mais próxima do epicentro, foi uma das áreas com danos materiais, de acordo com as primeiras informações.

Foto: AFP

O presidente peruano Martín Vizcarra escreveu em sua conta no Twitter que as autoridades avaliam as áreas afetadas.  "Pedimos a todos os nossos cidadãos que permaneçam calmos. O Centro de Emergência está monitorando e avaliando a situação", garantiu o presidente. O prefeito de Lagunas, Arri Pezo, afirmou que a população não quer entrar em suas casas por medo de novos tremores. O prefeito de Yurimaguas, Hugo Araujo, informou que várias casas antigas desabaram O diretor do Instituto Geofísico do Peru, Hernando Tavera, assegurou que não são comuns réplicas com esta profundidade do epicentro. "A possibilidade é quase mínima", garantiu.

O Peru se encontra, como seus vizinhos do Pacífico sul-americano Chile e Equador, em uma região muito sísmica. Em 24 de janeiro, outro terremoto, de magnitude 6,0, atingiu a costa central do Peru, causando danos menores e seis feridos em localidades próximas às centenárias Linhas de Nazca (costa sul).

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o mundo

Assuntos Relacionados