Tempestade tropical Wilfred se forma e nomes previstos acabam

A partir de agora, as tempestades serão identificadas com o alfabeto grego

Legenda: Furacão Teddy, tempestade tropical Wilfred e outros fenômenos se formam no Oceano Atlântico
Foto: NOAA

A tempestade tropical Wilfred se formou, nesta sexta-feira (18), marcando um novo recorde: a temporada de furacões do Atlântico 2020 produziu tantas tempestades que já não restam mais nomes previstos. A partir de agora, os ciclones serão identificados com o alfabeto grego.

Wilfred sopra entre a África e o Caribe com ventos máximos sustentados de 65 km/h, informou o Centro Nacional de Furacões, com sede em Miami.

Nesta temporada excepcionalmente ativa, Wilfred é a vigésima primeira tempestade do ano e, com sua formação, a lista de nomes pré-determinados pela Organização Meteorológica Mundial (OMM) se esgotou.

A lista consiste em 21 nomes femininos e masculinos que se alternam por ordem alfabética e mudam todos os anos. Como a OMM escolhe nomes que sejam facilmente reconhecíveis em uma região com vários idiomas, não escolhem nomes que comecem com X, Y ou Z.

No caso incomum de a lista chegar ao fim, a OMM prevê que as tempestade continuem sendo identificadas com as letras do alfabeto grego: alfa, beta, gamma, delta...

"Peguem seu alfabeto grego para o resto de 2020", escreveu o NHC em seu boletim sobre a Wilfred.

O meteorologista MJ Ventrice da consultora The Weather Company escreveu no Twitter que esta é "a segunda vez na história que estaremos usando o alfabeto grego, depois de 2005".

Este ano, alguns recordes foram quebrados com os furacões Katrina e Wilma, que devastaram Louisiana e Flórida nos Estados Unidos, respectivamente.

Esses nomes, assim como María, Irma ou Harvey por exemplo, foram retirados para sempre das listas de nomes da OMM devido à devastação que causaram em terra firme.

Enquanto a Wilfred marca este feito histórico, mais ao noroeste sopra Teddy, um poderoso furacão de categoria 4 que gira no centro do Atlântico e pode passar perto das ilhas das Bermudas apenas uma semana depois do furacão Paulette.

Já no Golfo do México, em frente à foz do Rio Grande, a 22a depressão tropical da temporada sopra com ventos de 55 km/h, segundo o NHC.

É esperado que se torne a tempestade tropical Alfa mais tarde nesta sexta-feira e talvez em um furacão no fim de semana.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o mundo

Assuntos Relacionados