Rival de Netanyahu falha ao tentar formar governo, e Israel pode ter 3ª eleição neste ano

Se Parlamento não surgir com um nome que possa formar um governo de maioria, Israel poderá passar pela terceira eleição em um ano

Legenda: Gantz informou hoje ao presidente que não conseguiu formar um governo de coalizão
Foto: AFP

Benny Gantz, principal rival do primeiro-ministro israelense, Binyamin Netanyahu, não conseguiu formar um novo governo dentro do prazo estabelecido, o que aprofunda a crise política no país e aproxima Israel de uma terceira eleição em menos de um ano.

O partido Azul e Branco, de Gantz, fez o anúncio hoje (20) antes mesmo do fim do prazo de meia-noite dado pelo presidente de Israel, Reuven Rivlin, para a construção de uma coalizão. Antes da tentativa do líder centrista, Netanyahu também havia fracassado na missão.

Para o atual premiê, não garantir um quinto mandato -ou, alternativamente, alternar o comando de Israel com Gantz, em uma proposta de aliança nacional- pode aumentar sua vulnerabilidade a possíveis acusações de corrupção, o que ele nega.

No anúncio em que admitiu o fracasso na tentativa de formar governo, Gantz, um ex-chefe das Forças Armadas sob Netanyahu, procurou atribuir ao primeiro-ministro a responsabilidade pela crise no país.

"O povo de Israel precisa de uma liderança de visão e não de imunidade", disse o centrista, aludindo aos esforços do partido Likud, de Netanyahu, para aprovar leis que possam protegê-lo das acusações.

Com o prazo de quarta-feira expirando em poucas horas, começará um período de 21 dias em que os legisladores israelense poderão nomear qualquer legislador, sujeito ao acordo de pelo menos 61 dos 120 membros do Knesset, o Parlamento local, e à autorização formal do presidente para tentar estabelecer um aliança.

O fracasso de mais uma tentativa desencadeará uma nova eleição dentro de 90 dias.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o mundo

Assuntos Relacionados