Rainha Elizabeth II estabelece "período de transição" para Harry e Meghan

Em comunicado, monarca revelou decisão de reunião de crise na família real

Legenda: Casal real anunciou renúncia a cargos na monarquia, abrindo crise com a rainha Elizabeth II
Foto: Foto: AFP

A rainha Elizabeth II anunciou nesta segunda-feira que acordou com o resto da família real britânica, durante uma reunião de crise, um "período de transição" para o neto Harry e sua esposa Meghan abandonarem seus deveres reais como desejam.

>Harry e Meghan querem viver em Los Angeles
>Meghan deixa Reino Unido e família britânica
>Rainha Elizabeth avalia renúncia de Harry e Meghan
>Harry e Meghan anunciam renúncia ao cargo real

"Embora tivéssemos preferido que eles permanecessem membros em tempo integral da família real, respeitamos e entendemos seu desejo de viver uma vida mais independente, então acordamos um período de transição" em que residirão entre o Canadá e o Reino Unido, disse a monarca em comunicado.

Citando uma fonte próxima à família, o Times disse nesta segunda-feira que Harry e Meghan se consideravam "rejeitados pelo que consideravam uma atitude de intimidação pelo duque de Cambridge", William. 

Essas declarações foram refutadas por fontes próximas a ambos.  Mais sutil, o Sunday Times disse que William, 37 anos, sente que ele e seu irmão, unidos desde a morte de sua mãe, a princesa Diana, em 1997, se distanciaram bastante.

Embora estivessem expressando suas dificuldades em apoiar a pressão da mídia há algum tempo, a decisão de Harry, 35 anos e sexto na linha de sucessão, e Meghan, 38 anos, ex-atriz americana que deixou sua carreira ao entrar na família real, abalou o país e chocou o clã Windsor. Especialmente porque o casal, elogiado por alguns por sua modernidade e criticado por outros por se rebelar contra as regras, mas querendo manter privilégios e títulos nobres, não notificou a família de sua decisão antes de causar o terremoto real. 

A monarca de 93 anos, que recentemente teve que lidar com o escândalo da amizade de seu terceiro filho, Andrew, com o falecido financista pedófilo americano Jeffrey Epstein, pediu que "soluções viáveis" fossem encontradas rapidamente nesta nova crise. 

Os duques de Sussex disseram que queriam continuar "apoiando a rainha" - isto é, poderiam representá-la em eventos oficiais ou viagens internacionais -, mas, ao mesmo tempo, deixar o sistema oficial de cobertura da mídia, dividir seu tempo entre o Reino Unido e a América do Norte e buscar "independência financeira ", embora mantendo sua casa em Windsor e benefícios financeiros.

O casal também registrou a marca "Sussex Royal", que abrange desde cartões postais a roupas, passando por consultoria ou campanhas de caridade. 

Perfis

Confira os personagens que participaram da reunião para avaliar a renúncia do casal real

Rainha Elizabeth II

A chefe de Estado, 93 anos, está no trono desde que seu pai, o rei George VI, morreu em 1952. Ela conduziu o Reino Unido durante um período de mudanças dramáticas desde o pós-Segunda Guerra Mundial, até a perda das colônias e agora o Brexit. 

Ao longo das décadas, optou por uma mudança lenta e pragmática por meio de consenso, em vez de uma ação drástica. Foi ela quem convocou a reunião de crise, realizada em Sandringham, sua propriedade privada no leste da Inglaterra, onde tradicionalmente reside do Natal até o início de fevereiro. 

Príncipe Charles

Aos 71 anos, o filho mais velho da monarca é o mais longo herdeiro do trono que o Reino Unido já teve e pai dos príncipes William e Harry. O casamento com a mãe deles, a princesa Diana, não deu certo e eles se divorciaram em 1996. 

Ela morreu em um acidente de carro em 1997 em Paris, quando foi perseguida pelos paparazzi.  Charles se casou com sua segunda esposa, Camilla, em 2005. 

O príncipe de Gales desempenha um papel mais importante na direção da família real desde que seu pai, príncipe Philip, atualmente com 98 anos, se aposentou em 2017. Ele tem sua residência oficial na Clarence House em Londres. Ele financia seus dois filhos e suas famílias, com sua renda privada, do portfólio de terras e propriedades do Ducado da Cornualha. 

Príncipe William

O duque de Cambridge, 37 anos, é o segundo na linha de sucessão ao trono, seguido por seus três filhos: George, seis, Charlotte, quatro, e Louis, um ano. 

Em 2011, ele se casou com Kate Middleton, que era sua namorada desde a faculdade. Ele era piloto de helicóptero de busca e salvamento e deixou seu emprego como piloto de ambulância aérea em 2017. Ele mora com sua família no Kensington Palace, em Londres. É considerado uma pessoa consciente e cautelosa e se esforça para garantir que a monarquia permaneça relevante para as novas gerações. 

Ele e Kate aparecem como a família real perfeita, respeitosa de cânones e tradições. 

Harry confirmou em outubro que os irmãos haviam se distanciado. No entanto, nesta segunda-feira, eles se uniram para denunciar uma "informação falsa" publicada em um jornal britânico sobre seu suposto mau relacionamento. 

Príncipe Henry

O duque de Sussex, 35 anos, é, desde o nascimento de seu sobrinho Louis, o sexto em sucessão ao trono. Depois de dez anos no exército britânico, no qual ele serviu por dois períodos no Afeganistão, Harry começou a se concentrar nas funções reais. Ele conheceu Meghan, uma atriz de televisão americana, em um encontro às cegas, e o relacionamento deles rapidamente floresceu. 

Eles se casaram em maio de 2018 e moram no recém-renovado Frogmore Cottage, na propriedade do Castelo de Windsor. Harry, que antes de se assentar era conhecido como o membro mais problemático da família real britânica, sempre teve um relacionamento difícil com a imprensa e recentemente se queixou de vários jornais alegando que eles estavam assediando a esposa, assim como fizeram com a mãe dele. Meghan, 38 anos, participará da reunião por telefone do Canadá, onde se encontra.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o mundo

Assuntos Relacionados