Protestos no Chile seguem mesmo após recuo do governo; três pessoas morrem

O aumento na tarifa do metrô havia causado grandes protestos, incluindo demonstrações que causaram milhões de dólares de prejuízo em estações do metrô, escritórios e lojas vandalizadas

Legenda: Estado de emergência e toque de recolher permanecem em vigor em seis cidades chilenas
Foto: AFP

Protestos no Chile continuam neste domingo mesmo após o presidente, Sebastián Piñera, cancelar um aumento na tarifa do metrô que causou grandes e violentas manifestações.

O governador da região de Santiago disse que três pessoas morreram em incêndio num supermercado na manhã de domingo. Foi em uma das lojas que pertencem ao Walmart e que foram vandalizadas. A companhia diz que muitas lojas não abrirão. Ao menos duas companhias aéreas cancelaram voos para a capital chilena.

Piñera anunciou na noite de sábado que estava cancelando o aumento na tarifa imposta há duas semanas. A alta havia causado grandes protestos, incluindo demonstrações que causaram milhões de dólares de prejuízo em estações do metrô, escritórios e lojas vandalizadas.

Estado de emergência e toque de recolher permanecem em vigor em seis cidades chilenas.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o mundo

Assuntos Relacionados