Pandemia deixa aviões no chão e afeta previsão do tempo e do clima

Agência da ONU para a meteorologia mundial alerta que, sem os dados enviados pelos voos comerciais, prognósticos científicos ficam prejudicados

A pandemia do novo coronavírus começou a prejudicar o trabalho científico de elaboração de previsões para o tempo e o clima em todo o mundo, um problema para setores da economia, como a agricultura, que dependem desses estudos, alertou, nesta quarta-feira, uma agência especializada da Organização das Nações Unidas (ONU), citando a escassez de dados sobre a atmosfera captados pelo setor da aviação, que foi obrigado a deixar suas aeronaves no chão devido ao fechamento de fronteiras aéreas nos aeroportos do planeta.

Sediada em Genebra (Suíça), a Organização Meteorológica Mundial (OMM) admitiu, em comunicado divulgado ontem, que "algumas partes do sistema de observação já foram afetados" devido ao impacto da redução significativa do tráfego aéreo.

A OMM advertiu que, sem a contribuição das mais de 700 mil observações diárias enviadas pelos sistemas de computadores e sensores de milhares de aviões de voos comerciais, domésticos e internacionais, sobre temperatura, ventos e umidade do ar para as estações meteorológicas em terra, "haverá consequências negativas para a entrega de serviços, em um mundo interconectado, inclusive potencialmente para a qualidade das previsões de tempo".

A agência da ONU já percebeu esse problema na Europa, que vive uma situação sobre previsões de tempo e clima descrita como "dramática", com a redução da captação de dados nas últimas semanas. O velho continente é um dos epicentros da pandemia do novo coronavírus, notadamente a Itália, Espanha e França, que adotaram uma série de medidas drásticas de isolamento social e da quarentena. Os principais aeroportos franceses foram fechados, por exemplo.

Sistema crucial

Componentes de satélites e diversas redes de observação em terra são total ou parcialmente automatizadas, observa a OMM, ressalvando que espera a continuidade do funcionamento desses aparelhos, cruciais para as previsões de tempo e clima no mundo. "Mas as informações captadas nos voos sobre temperatura ambiente, velocidade e direção dos ventos são uma fonte muito importante tanto para a previsão do tempo como para o monitoramento do clima", destaca o comunicado.

O chamado Sistema de Observação Global da OMM é utilizado como plataforma para todos os serviços e produtos sobre clima e tempo, oferecendo desde análises sobre o estado da atmosfera como a superfície dos oceanos e dos continentes. É uma etapa fundamental para a preparação de prognósticos, recomendações e alertas sobre o tempo.

Alternativas

Para alimentar esse sistema tão importante para agricultores planejarem a próxima safra ou ter uma ferramenta sobre volumes de chuva ou se vai ter seca, enchente ou se vai fazer calor ou frio, a OMM também recorre às observações feitas por comunidades de meteorologia espalhadas pelo mundo, que ainda captam dados manualmente.

"Temos visto uma redução significativa da disponibilidade desse tipo de observação manual nas últimas duas semanas", registrou a OMM, que suspeita que esse tipo de trabalho manual pode ter sido afetado pela pandemia do novo coronavírus devido ao confinamento adotado em diversos países. A agência da ONU informou que vai investigar por que essas comunidades de meteorologia pararam de enviar dados para o sistema.

Aviação

A crise afeta no momento 98% do tráfego aéreo de passageiros em todo o mundo, segundo a Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata). A pandemia privará o setor aéreo mundial de US$ 252 bilhões de faturamento este ano, estimou a entidade.

A Iata reúne 290 companhias que representam 82% do tráfego aéreo mundial. O setor pede um socorro de US$ 200 bilhões. "Nossa indústria nunca sofreu uma crise tão profunda",

Poluição do ar

Fábricas paradas, carros na garagem, aviões no chão: apesar de ter reduzido as emissões poluentes em um planeta em confinamento, a pandemia de Covid-9 terá "pouco efeito" no clima, segundo a OMM. É provável que o fenômeno seja "efêmero", com as emissões de CO2 voltando a seu nível pré-pandêmico, uma vez a crise esteja sob controle.

Aeroporto fechado

O aeroporto de Orly, um dos principais da França, foi fechado, ontem, devido à queda do fluxo de passageiros. Em um dia normal, são mais de 600 voos e 90 mil passageiros. Com as restrições para viajar no mundo, o tráfego aéreo na Europa diminuiu em 80%.

declarou o diretor da Iata, Alexandre de Juniac.


Categorias Relacionadas