Macedônia aprova mudança do nome do país por 91%

Legenda: Apoiadores do boicote ao referendo de mudança de nome do país fizeram manifestação em frente ao Parlamento na capital Skopje
Foto: FOTO: FRANCE PRESSE

Skopje. Mais de 90% dos eleitores macedônios que participaram do referendo ontem aceitaram que o país mude seu nome para "República da Macedônia do Norte", segundo os resultados da comissão eleitoral, o que abriria o caminho para a entrada na União Europeia. Com 80% das urnas apuradas, o "sim" obteve 91,2% dos votos. No entanto, a abstenção foi alta, e apenas um de cada três cidadãos compareceu aos centros de votação.

O referendo foi consultivo, e agora o Parlamento deve estudar a iniciativa, que necessita ao menos dois terços de seus membros para ser aprovada, uma maioria da que carecem o governo social-democrata e seus aliados da minoria albanesa. A União Europeia pediu que o resultado seja respeitado.

Caso seja concretizada, a mudança de nome acabaria com um antigo conflito com a Grécia e aproximaria o Estado da União Europeia (UE), quando Atenas suspender seu veto.

O país balcânico, um dos mais pobres da Europa, quer entrar para a UE, que muitos consideram uma promessa de estabilidade e prosperidade. Mas o objetivo de Skopje, capital do país, esbarra no veto da Grécia, que afirma que o nome Macedônia pode apenas designar uma de suas províncias setentrionais, ao redor de Tessalônica. Desde que a Macedônia declarou independência da ex-Iugoslávia em 1991, os gregos acreditam que o país tenta usurpar seu patrimônio, especialmente o de Alexandre, o Grande, e que mantém ambições territoriais ocultas.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o mundo