Em pronunciamento, Trump diz que não vai aceitar que o Irã tenha armas nucleares

Presidente dos EUA convocou aliados a saírem do acordo antes do final

Legenda: Em pronunciamento, Trump diz que "quer levar paz para o Irã"
Foto: AFP

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, fez um pronunciamento na tarde desta quarta-feira (8), na Casa Branca, em resposta ao ataque do Irã, que disparou mais de uma dúzia de mísseis na noite desta terça-feira (7) contra duas bases americanas no Iraque. No pronunciamento, Trump afirmou que não vai aceitar que o Irã tenha armas nucleares e que os Estados Unidos "eliminou o maior terrorista do mundo", disse Trump ao se referir ao general iraniano general Qasem Soleimani. 

"Eliminamos o maior terrorista do mundo. Ele era responsável pelas maiores atrocidades. Ele treinava terroristas e promovendo ataques terroristas contra alvos civis. De maneira cruel ele promoveu a morte de muitos soldados com minas terrestres. Ele dirigiu ataques recentes em forças no Iraque que matou um americano. Ele orquestrou um ataque a embaixada no Iraque", disse Trump no início do pronunciamento. 

O presidente contou, ainda, que Soleimani "estava planejando novos ataques" e que os Estados Unidos vão criar novas sanções para mudar o comportamento do Irã. "Ele estava planejando novos ataques, mas paramos suas atividades. Ele devia ter sido eliminado há muito tempo. Mandamos uma mensagem aos terroristas dizendo que não vão ameaçar o nosso povo. Vamos criar novas sanções até que o Irã mude seu comportamento. Desde que o tolo acordo nuclear assinado em 2015 já tivemos vários ataques como os da Arábia Saudita e a nossa embaixada no Iraque. Eles cantaram morte América desde que o acordo foi assinado", conta. 

Ainda no pronunciamento, Trump disse que os mísseis disparados contra duas bases americanas no Iraque foram pagos com dinheiro de aliados. "Os mísseis disparados contra nós foram pagos com dinheiro de aliados através de acordo assinado na administração passada. O acordo acaba em breve. A hora chegou para que o Reino Unido, Alemanha, França reconheçam a realidade. Eles precisam sair deste acordo e devem trabalhar junto para tornar o mundo um lugar melhor, mais seguro. Que faça com que o Irã caminhe para a prosperidade". 

No final do discurso, Donald Trump afirmou que não vai mais tolerar terrorismo e que os Estados Unidos possuem forças armadas poderosas. O presidente disse que o país está construindo mísseis hipersônicos e que os EUA "não querem usá-los". "Nossas forças armadas são mais poderosas do que nunca. Estamos construindo mísseis hipersônicos que nós não queremos usá-los. Três meses atrás destruímos boa parte do Estado Islâmico, que são responsáveis por mortes de cristãos e mulçumanos e de todos que estavam no seu caminho. Queremos que o povo do Irã tenha um grande futuro de prosperidade e harmonia", finalizou. 

"Tudo está bem"

Na noite desta terça-feira (7), após o ataque do Irã contra duas bases americanas no Iraque, Donald Trump usou sua conta oficial no Twitter para minimizar os efeitos dos bombardeios e disse que "tudo está bem". O norte-americano, no entanto, diz que informações sobre vítimas e danos materiais ainda estão sendo levantadas nos locais atingidos. O governo estadunidense ainda não confirmou se houve mortes ou feridos entre suas tropas no local.

"Até agora, tudo bem", tuitou Trump, às 23h50 (horário de Brasília). "Mísseis lançados pelo Irã em duas bases militares no Iraque. Avaliação de baixas e danos acontecendo agora. Por enquanto, tudo bem", disse. "Nós temos a mais poderosa e bem equipada força militar em qualquer lugar do mundo, de longe."

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o mundo