Eleição na Grécia pode marcar a volta do partido conservador

Os gregos votam neste domingo nas primeiras eleições parlamentares desde que o país emergiu em uma crise financeira que durou quase uma década

Legenda: Alexis Tsipras, que liderou o pequeno partido da Coalizão da Esquerda Radical ao poder em 2015, deve sair derrotado
Foto: Foto: Reprodução/Facebook

Os gregos votam neste domingo nas primeiras eleições parlamentares desde que o país emergiu em uma crise financeira que durou quase uma década. As pesquisas de opinião sugerem que os gregos devem seguir a recente tendência europeia de aumentar o apoio a partidos populistas, com o líder conservador do partido de oposição Kyriakos Mitsotakis favorito para vencer.

O primeiro-ministro Alexis Tsipras, que liderou o pequeno partido da Coalizão da Esquerda Radical, ou Syriza, ao poder em 2015, com promessas de revogar as medidas de austeridade dos dois primeiros resgates da Grécia, deve sair derrotado. Tsipras convocou a votação três meses antes do planejado originalmente, depois que o Syriza sofreu uma derrota dolorosa nas eleições europeias e locais em maio e início de junho. 

O primeiro-ministro tem apelado para o apoio da classe média, que tem lutado sob uma pesada carga tributária, grande parte imposta por seu governo. Mas o oponente, Mitsotakis, o filho de 51 anos de um ex-primeiro-ministro e irmão de um ex-ministro das Relações Exteriores, conseguiu construir uma vantagem considerável nas pesquisas de opinião.

Ele promete tornar a Grécia mais favorável aos negócios, atrair investimentos estrangeiros, modernizar a notória burocracia do país e cortar impostos, e tem lutado para abandonar a imagem de privilégio familiar.

Enquanto Mitsotakis é o favorito claro para ganhar, o número de partidos menores que chegam ao parlamento poderia determinar se ele tem assentos suficientes nos 300 membros para formar um governo. Ele precisaria de pelo menos 151 para poder governar sem formar uma coalizão com outro partido.


Categorias Relacionadas