Coronavírus deixa mais de 250.000 mortos no mundo, com previsão de aumento nos próximos meses

O Brasil não fica de fora das previsões negativas: pesquisa mostra que o País caminha para se tornar o novo epicentro da pandemia no mundo

Legenda: O número de mortos por covid-19 no Brasil, de 7.321, ultrapassou os do Irã, da Alemanha e da China - nação com 1,4 bilhão de habitantes
Foto: AFP

O novo coronavírus causou 250.203 óbitos no mundo inteiro, sendo 145.023 deles apenas na Europa, o continente mais afetado pela pandemia, com 1.572.178 casos. Este número representa quase metade do total de infectados no planeta (3.570.093).

Apesar disso, é no continente americano que está o país com mais mortes pelo vírus: os Estados Unidos lideram a lista, com 68.689 vítimas fatais. Segundo projeções do Institute for Health Metrics and Evaluation (IHME), provavelmente, a nação vai superar a marca de 100.000 óbitos.

De acordo com os estudos, até 4 de agosto, devem morrer 135.000 estadunidenses, uma consequência da saída prematura do confinamento em algumas regiões do país.

O Brasil não fica de fora das previsões negativas: pesquisa da Universidade Johns Hopkins, dos Estados Unidos, em parceria com algumas instituições brasileiras, como a Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, mostra que o País caminha para se tornar o novo epicentro da pandemia no mundo. Ainda no último dia 26, a taxa de contágio brasileira era de 2,8, a maior entre 48 países. Isso quer dizer que um infectado propaga o vírus para quase três pessoas.

Além disso, o número de mortos por covid-19 no Brasil, de 7.321, ultrapassou os do Irã, da Alemanha e da China - nação com 1,4 bilhão de habitantes.

Em busca de uma vacina 

A Organização Mundial da Saúde (OMS) afirmou que apenas o desenvolvimento de uma vacina, ou de um tratamento, poderá acabar com a pandemia.

Mais de 100 projetos do tipo estão sendo realizados, no mundo, dez deles na fase de testes clínicos, segundo a London School of Hygiene and Tropical Medicine.


Categorias Relacionadas