Candidatos a vice discordam em debate sobre gestão da pandemia nos EUA

O republicano Mike Pence e a democrata Kamala Harris se encontraram em uma discussão ainda mais relevante após o diagnóstico de Covid-19 do atual presidente, Donald Trump

Kamala Harris e Mike Pence
Legenda: A menos de um mês das eleições de 3 de novembro, a infecção de Trump colocou a pandemia entre os temas principais do debate
Foto: Robyn Beck / Alex Wong / Getty Images North America / AFP

Os candidatos à vice-presidência dos EUA, o republicano Mike Pence e a democrata Kamala Harris, discordaram nesta quarta-feira sobre a gestão da pandemia em seu primeiro e único debate, em um encontro que ganhou mais relevância após a infecção do presidente Donald Trump pelo novo coronavírus.

"O povo americano foi testemunha do maior fracasso de qualquer administração presidencial na história de nosso país", afirmou duramente a senadora democrata.

A doença do presidente, de 74 anos, somada às preocupações sobre o estado físico e a idade de seu rival, Joe Biden, três anos mais velho, aumentou o interesse pelo debate entre os vices, que aconteceu em Salt Lake City, Utah.

A menos de um mês das eleições de 3 de novembro, a infecção de Trump colocou a pandemia entre os temas principais do debate, em um momento em que a Covid-19 é responsável pela morte de mais de 210.000 pessoas nos Estados Unidos.

O tema colocou Pence — que encabeça desde fevereiro o grupo responsável pelo combate à covid — em uma posição incômoda, já que, além do avanço da pandemia pelo país, a administração Trump enfrenta um surto da doença dentro da Casa Branca.

O vice, de 61 anos, acusou os democratas de "plagiar" seu plano de luta contra o novo coronavírus. Em seguida, acusou Harris de "minar a confiança" dos americanos na possível descoberta de uma vacina durante o mandato de Trump.

"Pare de brincar de política com a vida das pessoas", pediu Pence, vestido com a tradicional gravata vermelha dos republicanos.

Harris, uma ex-procuradora de 55 anos habituada a fazer perguntas inquisitivas, acusou Trump de "sacrificar" os trabalhadores da saúde.

A senadora da Califórnia, de pai jamaicano e mãe indiana, poderá se tornar a primeira mulher a ocupar a vice-presidência dos Estados Unidos em caso de vitória de Biden nas eleições de novembro.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o mundo