Cameron se despede do governo e pede que Reino Unido fique próximo da UE

Entre os parlamentares presentes na sessão de perguntas e respostas estava a nova premiê, Theresa May, que foi recebida com aplausos e gritos de apoio

David Cameron participou nesta quarta-feira (13) da sua última sessão de perguntas e respostas do Parlamento como primeiro-ministro britânico. Muito aplaudido pelos parlamentares, Cameron manteve um tom leve em sua despedida, com brincadeiras e comentários bem-humorados. Ele recebeu elogios e críticas, mas conseguiu deixar o cargo em uma condição mais positiva do que muitos dos seus críticos esperavam.
 
Entre os parlamentares presentes na sessão de perguntas e respostas estava a nova premiê, Theresa May, que foi recebida com aplausos e gritos de apoio. Após o encontro, Cameron teria uma programação "leve", conforme brincou durante a sessão. Ele deve se reunir com a rainha Elizabeth II para oficializar sua renúncia e passar o governo para May.
 
Saída sem afastamento
 
Cameron renunciou a seu cargo após ter sido derrotado no plebiscito que decidiu pela saída do Reino Unido da União Europeia. Em sua despedida, ele pediu que sua sucessora mantenha o Reino Unido o mais próximo possível da UE, mesmo após o rompimento. "Meu conselho a minha sucessora, que é uma negociadora brilhante, é que devemos tentar ficar o mais próximos que pudermos da União Europeia para podermos nos beneficiar do comércio exterior, da cooperação e da segurança", disse.
 
Cameron ressaltou que o governo está trabalhando para que os cidadãos europeus possam continuar no Reino Unido após a separação, e que isso depende da reciprocidade a britânicos que vivem na Europa. Segundo ele, "não há absolutamente nenhuma chance" de cidadãos europeus serem deportados.
 
Desafios
 
May vai assumir o cargo de primeira-ministra do Reino Unido no lugar de Cameron ainda nesta quarta-feira (13), e deve formar um governo com as tarefas monumentais de separar seu país da União Europeia e unir uma nação dividida. Ministra do Interior durante seis anos, ela é vista por seus apoiadores como alguém de pulso firme para conduzir a nação pelo chamado Brexit, o processo desestabilizador de desfiliação do bloco. May será a segunda mulher no posto desde Margaret Thatcher, que deixou o poder 26 anos atrás.
 
"Acho que ontem, na mesa do gabinete, o sentimento era que temos nossa Angela Merkel", disse Jeremy Hunt, ministro da Saúde da equipe de Cameron, que se reuniu pela última vez na terça-feira, em referência à chanceler da Alemanha. Merkel, aliás, será a contrapartida mais importante de May no continente durante o processo de desfiliação britânica da UE. As duas mulheres são famosas por sua firmeza, seu pragmatismo e sua disciplina.
 
O rompimento do Reino Unido com a UE abalou o bloco que passou a integrar 43 anos atrás e colocou décadas de integração europeia em marcha à ré.
Você tem interesse em receber mais conteúdo internacional?