Bolsonaro e Felipe Neto estão em lista da revista Time entre os 100 mais influentes do mundo

Na categoria "Líderes", Bolsonaro aparece ao lado de outros governantes, como Donald Trump, presidente dos EUA, Xi Jinping, da China, Narendra Modi, da Índia, e Angela Merkel, chanceler da Alemanha

Legenda: Felipe Neto e Jair Bolsonaro
Foto: Divulgação / Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro e o influenciador digital Felipe Neto são os brasileiros na lista de 100 pessoas mais influentes do mundo em 2020 elaborada pela revista Time. Os eleitos foram divulgados na noite de terça-feira, 22.

Na categoria "Líderes", Bolsonaro aparece ao lado de outros governantes, como Donald Trump, presidente dos EUA, Xi Jinping, da China, Narendra Modi, da Índia, e Angela Merkel, chanceler da Alemanha.

O perfil de Bolsonaro na revista informa números negativos de seu mandato, como os 137 mil mortos pelo coronavírus no Brasil, a "pior recessão em 40 anos" e os "mais de 29 mil incêndios na floresta amazônica apenas em agosto", mas também o apoio de 37% dos brasileiros. "No entanto, o número que realmente importa é 37 - a porcentagem da sociedade brasileira que aprovou Jair Bolsonaro em uma pesquisa no final de agosto, a maior pontuação desde que ele assumiu o cargo no início do ano passado", diz o perfil.

"O índice de aprovação de Bolsonaro se deve em parte aos pagamentos mensais de ajuda de emergência feitos aos mais pobres do País durante a pandemia. Mas também reflete os seguidores fervorosos, que quase o cultuam, que ele comanda", afirma a Time.

O presidente também havia sido incluído na lista dos cem mais influentes em 2019. Dilma Rousseff foi citada em 2011 e 2012, e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em 2004 e 2010.

É o segundo ano seguido em que Bolsonaro é listado entre as cem pessoas mais influentes do mundo pela publicação. O presidente do Brasil foi descrito pela publicação na época como "um personagem complexo", que representa uma ruptura com uma década de corrupção, mas que também é "um garoto propaganda da masculinidade tóxica".

O influenciador Felipe Neto foi incluído na categoria "Ícones". A publicação destaca seus 51 milhões de seguidores nas redes sociais. A lista ainda tem a tenista Naomi Osaka, a professora americana Angela Davis, a jogadora de futebol dos EUA Megan Rapinoe, entre outras celebridades.

"É uma honra indescritível compor essa lista, principalmente por saber que lutei com todas as forças para usar a minha influência para o bem, para a ciência, o combate à desinformação e, claro, para a diversão de milhões de famílias no Brasil", disse Felipe Neto ao Estadão.

Ao comentar o anúncio, o influenciador digital também falou sobre o futuro: "continuarei com estes valores e levando a sério a responsabilidade da influência que acabo gerando na vida das pessoas".

O artigo sobre Felipe publicado no site da revista foi escrito pelo deputado federal David Miranda. "O influenciador digital de maior importância no Brasil, possivelmente no mundo", escreveu o político eleito pelo Rio de Janeiro. A edição impressa TIME100 deste ano chegará às bancas na sexta-feira, 25.

Ataques

O youtuber vem enfrentando ataques desde que começou a se posicionar politicamente e contra o governo de Jair Bolsonaro. Felipe Neto foi alvo, em julho, de um boato mentiroso que o associava a pedofilia. Em agosto, o youtuber aceitou o convite do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, para participar de uma reunião sobre o projeto de lei das fake news.

Esta não é a primeira vez que o youtuber brasileiro se torna notícia internacional. Em julho, o jornal The New York Times publicou um vídeo no qual Felipe faz críticas aos presidentes dos Estados Unidos Donald Trump e ao do Brasil, Jair Bolsonaro.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o mundo