Avó e neta se reencontram após meses de confinamento e trocam abraços protegidas por um plástico

Parentes de diferentes faixas etárias tentam reduzir o risco de infecção da Covid-19 em atos protegidos de afeto

Legenda: Olívia (à dir.) abraça sua avó Mary, protegidas por um plástico, em cidade do estado de Nova York
Foto: Foto: AFP

A pandemia do novo coronavírus obrigou o distanciamento físico entre parentes de diferentes faixas etárias, a fim de reduzir o perigo de de infecção da Covid-19 principalmente em idosos, um dos grupos de riscos da doença respiratória. Em busca da troca de afeto, filhos e netos buscam soluções seguras para o reencontro com seus pais e avós.

Legenda: Família improvisa reencontro com auxílio de uma cortina de plástico
Foto: Foto: AFP

Em Wantagh, no Estado de Nova York (EUA), Olívia Grant conseguiu, por exemplo abraçar sua avó, Mary Grace Sileo, por meio de uma cortina de plástico. Foi a primeira vez que elas se viram presencialmente desde o início do confinamento devido à pandemia do novo coronavírus em meados de fevereiro.

Em uma casa de repouso, no norte da França, a visita aos idosos é feita em uma tenda com uma bolha de entrada dupla. As pessoas ficam separadas por uma tela de plástico resistente, a fim de evitar o risco de contaminação.

Mesmo com essas restrições, as imagens dos reencontros entre os parentes ilustram momentos de muita emoção e carinho, algo que as video chamadas também permitem, mas que não substituem o olho no olho, o toque, o compartilhar o mesmo espaço, na esperança de dias melhores.


Categorias Relacionadas