Apelido de copiloto da Germanwings era "Demônio do céu"

Andreas Lubitz é suspeito de derrubar propositalmente o avião da companhia, voo 9525, nos Alpes franceses; 150 pessoas morreram

O tabloide alemão "Bild" revelou esta semana que Andreas Lubitz, copiloto da Germanwings, pesquisou na internet sobre métodos de suicídio, bipolaridade, depressão maníaca e deterioração da visão semanas antes do acidente aéreo envolvendo o voo 9525, que deixou 150 mortos.

Ainda de acordo com a publicação, o apelido de Andreas para acessar o tablet pessoal era Skydevil, que significa Demônio do céu em português.

Segundo Christoph Kumpa, promotor do caso, Lubitz também teria pesquisado sobre a regulação das portas de cabine do Airbus.

Uma revista, a "Der Spiegel", informou que o copiloto se consultava com cinco médicos diferentes ao mesmo tempo. Todos já foram contatados pelas autoridades.

Ainda em 2009, quando passava pela escola de treinamento de pilotos da Lufthansa, Lubitz passou por período de depressão. Ele é suspeito de ter derrubado propositalmente o avião da companhia Germanwings nos Alpes franceses, com 150 pessoas a bordo. Andreas teria ficado sozinho na cabine de voo quando o piloto da aeronave foi ao banheiro. Na volta, o copiloto teria trancado a porta da cabine e deixou o avião cair até se chocar contra os Alpes.

Todos os destroços dos corpos e os DNAs já foram recolhidos. Nesta terça (7), médicos alemães ligados ao transporte aéreo pediram testes mais rigoroso durante a formação dos pilotos.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o mundo